Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

domingo, 25 de setembro de 2011

NÃO-PARAR


Outro: objeto de prazer e frustração
Não o buscamos como ser, mas no infindo diálogo de poder e submissão
Ser humano é ser apenas extensão do que demais existe, assim como qualquer outra coisa, viva ou morta
A aparência é uma porta
A sapiência uma chave
Para um caminho qualquer que, no fim, não leva à razão alguma
Todos os caminhos não levam a nada, pois o sentido em si não há
Não há resposta para suprir todas as questões
Nem toda pergunta é necessária
A vida em si é uma mortalha que cresce a cada dia
Forjada no calor da luta contra o próprio destino
Mero desatino do não-parar

ATEU POETA
24/09/2011
6h e 47 min

IMPERFEITA BUSCA


A intensidade é insana, por que loucura é o mesmo que descontrole e toda intensidade é descontrolada, portanto, louca
Toda intensidade, então, deverá ser combatida para que o equilíbrio possa ser criado
Tudo, porém, tende ao desastre por ser o universo a mão torta do defeito que nos permitiu essa formação viva de curto tempo
Vida: a curta-metragem de uma temporada sem fim nem começo e muito menos diretor ou cameraman, sem roteiro certo
Buscamos tanto a perfeição por que ela sempre faltará em toda matéria e vácuo, sob qualquer contagem ou padrão
Seria perfeição a intensidade que o defeito não pode dar; um equilíbrio impossível de ser criado, contudo, justamente por imperfeição, jamais pararemos de procurar

ATEU POETA
24/09/2011
7h e 9 min  

domingo, 18 de setembro de 2011

CULTA DITADURA

CULTA DITADURA

A cultura é uma ditadura imposta
Lavagem-cerebral de tenra idade
Tensa é a mocidade por quebrar padrões
Um grilo rouco vencerá os loucos, Pinóquios e outras pedras?
Pular de pára-quedas é mais mortal do que parece
Será o lobo mau?
Ou maldade é a destreza de adestrá-lo?

Mito, mito, mito
Mil marchas sem brasões
Grito, grito, grito
Penúrias e aflições

Muitas posam de Chapeuzinho
Vermelho é a cor da estação
Temporada de caça aberta
Abra bem seu coração
E os olhos mais ainda
O falso amigo trai
Arquiteta sua queda

Mito, mito, mito
Mil marchas sem brasões
Grito, grito, grito
Penúrias e aflições

Aleije a mão do caçador
Estraçalhe o adestrador
Rebata choque com trovão
A audição do inimigo não é pára-raios
Seja relâmpago paralelo
Encandeie quem tenta lhe apagar 

Faça da razão um elo
Mito, mito, mito
Mil marchas sem brasões
Grito, grito, grito
Penúrias e aflições

ATEU POETA
PACOTI-Ceará
1h e 12 min
19/09/2011

domingo, 11 de setembro de 2011

ÁGUIA-TROVÃO


A verdade rasga
Queima e mata
Pesa sobre os ombros de quem conduz

Verdade é a cruz do não-Cristo
É o crime imprevisto com punição digital

Hermes, testa de ferro de Zeus
Impôs a pedra eterna a Sísifo
Por sobrepujar Thanátos e Hades

Um mero mortal fugiu das garras da morte
Mas não pode desafiar os deuses sem ir para o Tártaro

Perdera o Monte Eleusis
Mesmo sem moedas para Arqueronte
Passagem direta sem o Queronte
Por apontar o defeito da águia

ATEU POETA


PENSAMENTOS

Aprenda a ser lobo selvagem e cace os caçadores

ATEU POETA

O poder é um castelo de mitos

ATEU POETA

A verdade é um castelo de areia

ATEU POETA

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

ATÉ NANDO

ATÉ NANDO

Até Nando é hostilizado
Por não comer da hóstia vil
Saber que vinho não é sangue
Salve, salve! Meu Brasil de livre arbítrio

Hipocrisia do Estado Laico
Religiosos pregam Inferno aos bons
Fazem o Paraíso fiscal dos maus

Até Nando! Até quando?
Atos torpes da mais profunda ignorância
Intolerância contra quem canta sua verdade

Atores do século XXI
Queriam estar na Idade Média
A Idade das Trevas acabou
Mas as bestas andam soltas pelo mundo

ATEU POETA
Pacoti-Ceará
09/09/2011
18h E 34 min

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

TRÁFICO


Tudo é produto a traficar
Drogas
Armas
Mulheres
Órgãos
Crianças

O que mais a se roubar?
Sonhos
Vidas
Esperanças

Quanto a transportar?
Bilhões
Trilhões
Até o mundo desmanchar!

É um rastro só de sangue
A fonte há de jorrar
Nada mais a declarar


ATEU POETA