Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

CRIME

CRIME

Sou mero poeta, cara musa!
Ínfimo a
Na longa lista do universo
Analiso lindo verso
Teu corpo nu expresso
Em linhas derrapantes
Em cada curva me perco
Em inteira adoração
És Afrodite, deusa do amor
Tens meu louvor
És sedução
E eu, um ateu mudo
Diante de ti, sem temor ou razão
Sem coração errante
Livre colibri à procura
No jardim sagrado
No templo de teu misterioso monte
Teu beijo é néctar que mata e cura
No inverso do olhar me tens
Pelo avesso
Do reverso és fonte
Doravante o pensamento mais complexo
Perderá a hermenêutica mais sutil
Virará expressão do amplexo
Enquanto a vida é tão vil
Cada ser é seu próprio capataz quando se reprime
A nostalgia do não nenhuma paz suprime
Acalme, de repente, com canção de orquestra
Tua beleza é festa
Deusa fugaz
És um crime!

ATEU POETA