Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

quarta-feira, 14 de março de 2012

DIVA NEGRA


DIVA NEGRA

É preciso sentir a solidão de mil mundos para que da dor a poesia prospere
O furor mina o instante de calmaria por que nada jamais será imbatível
Ninguém vive a ponto de ser inatingível ou imortal
A vida é feita de forma que a arte impere
Só quero, dama, do teu sabor um ampére desiderato que ao poeta ampare
Me ressuscite
Por que a beleza feminil excita a ponto da própria decadência da morte sublimar
Eleva tanta jactância que cada entrância vira instância do prazer mais supremo
A mulher é a flor da real estância
Rainha de tudo que é surreal
Louco é quem a renega
Diva negra que supera o simbolismo da razão da letra mais fiel
Dá sentido a existência
Faz fenecer da tristeza a essência e florescer da manhã a virtude com afã infinito que transforma a literatura em fã
Aquece o coração mais álgido
Suprimindo em festa a carência da paixão mais nefasta
Na mais fantástica fantasia que o mal afasta
Doce maré de avelã
Fascinação à revelia
Faz sumir o chão com o olhar e um sorriso mais lindo que o mar que inebria

ATEU POETA
3:40
Pacoti, Ceará
14/03/2012