quinta-feira, 31 de maio de 2012

FEMME




FEMME

Meus bucólicos olhos
Em teu sorriso se perdem
Em tua boca mora o paraíso
Teu corpo é o monoteísmo de um ateu poeta

Que os céus não me deserdem
Templo de beleza que vicia meus filamentos
Mil pensamentos
Todos de contemplação

Femme fatal
Nem os quadros de Magritte
Ou as notas de Chopin
Fariam tão nobre Afrodite

Em Neverland de Peter Pan
Teu olhar me congela, acredite...

ATEU POETA
1:12
01/06/2012

SERRA SERENA




SERRA SERENA

Seus paradoxos sintetizam as dissonâncias do mundo
Quero menos violência e mais vigor
Sem a paixão de acordos ortodoxos
Sentimento profundo de paz

No topo do monte poetas cantam seus ais
História de ares ancestrais
Sua boca de carmim sublima o céu
Cada curva do seu corpo é uma miragem de arranha-céu

A oca oca da minha tribo clama
Minha terra é minha ama
Onde o desejo se encerra
E se renova na paisagem

Esse lindo lar nos chama
Seus olhos brilham nessa serra

ATEU POETA
22:44
30/05/2012

segunda-feira, 28 de maio de 2012

INOVE



INOVE

É preciso inovar sempre
O novo é que traz brilho nos olhos
As flores novas que dão vida à primavera
O mundo reverbera todas as suas ações

Decepções são fruto de escolhas erradas
Queira ideias diferentes
Procures outras pessoas
Tente

Rejuvenesça a mente
Veja à frente
Não pense como outrora
Está na hora de mudar

Na tenha medo
O segredo do sucesso é perseverança e coragem de lutar

Ateu Poeta
17:22
28/05/2012

sexta-feira, 25 de maio de 2012

PEREMPTÓRIA




         PEREMPTÓRIA

Teu corpo é caro papiro
Piro se miro teus olhos raros
Firo sentimento que respiro
Afiro desiderato suspiro

Prefiro nada dizer
Com que sonha o teu ser?
A descrição não escreve o momento
A sensatez que me refiro de quem será criação?

Cautela demais faz fenecer  
Para que paro se o mundo em teu seio é canção?
Poeta sem amparo à mercê da tua inscrição
Quem dera ser protagonista de tua trajetória

Tornar real o desatino sem discrição dessa história
Ser poesia peremptória em teu coração

ATEU POETA
2:00
26/05/2012

quinta-feira, 24 de maio de 2012

MATILHA DELTA




MATILHA DELTA

Antônio Pantoja
Uma Cachoeira inaudível
12 milhões em corrupção
Lobos e lobistas trajados de calada matina

Comissão sob Inquérito no Parlamento
A Ficha Limpa cria rugas
Investidura de tartaruga
Mesada vai e vem

Fernando Cavendish
Deputados estarão à venda?
Bet Company e outros fantasmas
A ferir os cofres da Fazenda

Denit foi às compras?
Veja as laranjas do Tesouro Nacional

ATEU POETA
17:57
24/05/2012

segunda-feira, 21 de maio de 2012

LINGERIE




LINGERIE

As mulheres do televisor
São iguais às reais
Só que siliconadas
Modificadas por foto shop

Carregadas de carmim
Blush
Pó de arroz
Rudge

Purpurina
Caro esmalte
Chapinha
Roupa da moda

Vários tipos de linguagem
O espelho da razão derruba toda a maquiagem

ATEU POETA
22:53
21/05/2012

domingo, 20 de maio de 2012

VÉRTICE CONTINENTAL




VÉRTICE CONTINENTAL

Certas coisas não se deve liberar
Outras nem adianta proibir
Os que sentem prazer no perigo burlam a lei por desafio
Ou se tornam heróis de brio

A cultura é que molda o ser
O efeito iceberg implanta a máscara folclórica
O Estado é uma fantasia alegórica
Arma categórica do poder bélico

Cada figura histórica foi uma construção teatral
Qual a missão vertical que primazia a liberdade social?
Terror espectral é implantado com maestria no cidadão
Difícil encontrar o rival frente à falsidade de um ombro amigo

A continência lateral não faz sentido
Lavagem-cerebral é um dever cumprido

ATEU POETA
3:17
20/05/2012

sexta-feira, 11 de maio de 2012

POETA FOSTE



POETA FOSTE

Um coração forte
Para traçar outro norte
Poesia não é sorte
Desafiando o medo poeta foste

Sem segredo à parte
Em qualquer forte
É preciso porte
Apagou-se o poste

Já não ilumina o que poste
Aposte
Perderá o comporte
Voo sem passaporte

Um mero acorde é o sono da morte
Horizonte que não parte

Ateu poeta
7:44
10/05/2012

quinta-feira, 10 de maio de 2012

SEUS OLHOS AZUIS




SEUS OLHOS AZUIS

Sonho: simples sinestesia da razão
Senti seu perfume-saudade no ar
Meus versos são seus olhos azuis
Duas bolas de safira que perfuram os senso do mundo

Seu corpo é miragem
Labirinto onde mil vezes me perco moribundo
Mar de ilusão profundo
O universo é sinfonia de excesso e escassez

Que não me fira nenhuma solidez
Poeta não tem escolta
E as escolhas são instinto à solta
Estamos todos em extinção

Essa vida é só fração sem volta
Fascinação é você, não tem outra

Ateu Poeta
4:55
10/05/2012
Pacoti-CE

quarta-feira, 2 de maio de 2012

UNIVERSO PARADISÍACO




UNIVERSO PARADISÍACO
1.      São os sonhos que nos movem
2.      A felicidade é o único sentido da vida
3.      Por isso voo sempre mais alto
4.      Até o universo paradisíaco

5.      Onde os poetas são deuses extremos
6.      As deusas nuas realizam meus desejos hedonistas
7.      Vestidas de paixão num banho de poesia
8.      A música é o manjar supremo

9.      A maçã de Idun adoça todas as bocas
10.  Pecado é sinônimo de loucura
11.  Sagrado e perfeição são só adjetivos de contemplação ao que é belo
12.  Não existe bélico ou profanação

13.  Epicurismo é o primeiro mandamento
14.  E ateísmo um novo nome para razão
ATEU POETA
8:28
30/04/2012

ARAPUCA



ARAPUCA

1.      Não amo
2.      Por que amor é prisão de via dupla
3.      Arapuca de mandar e obedecer
4.      Hora de voar até um novo amanhecer

5.      Toda liberdade é pouca
6.      Queremos por instinto sempre mais
7.      Ás na manga ao por do sol
8.      Nesse regaço se esconde o paraíso

9.      Mas nenhum oásis é infinito
10.  Nos banhemos enquanto bonito for
11.  Dançando com um pé na ilusão
12.  E outro na imensidão da highway

13.  Vou até onde a asa me levar
14.  Canção sincera sobre o mar de arrebol que reverbera

ATEU POETA
23:40
27/04/2012
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.