Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

sábado, 3 de agosto de 2013

ODE À DOR




ODE À DOR

A dor adora nos contradizer
Roubar-nos o prazer mais simples
A cintilar desacentua qualquer façanha
Mas, remete à coerência do defeito

Lembra-nos a nossa efemeridade
Simples feras do caos que se acham o centro
Dos versos torpes de um deus pagão
Ungido no universo da ilusão mais harmônica

Com efemérides suspostamente precisas
Mas, quando a catarse alitera
Uma crase de cratera reverbera no ar
Oxida pra além do câncer

Cada ser vivo também é um mero radical livre
Livro genético de acaso e pressão

ATEU POETA
O QUESTIONADOR
04/08/2013