quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

NADA SEREI


NADA SEREI

Sem teu abraço nem existo
Nada sei nem insisto
De tanto versejar velejei
Vivo a cantar

Mas nada serei
Não há laço com o mundo
Que valha uma pluma
Em vala de vale profundo

Sereias em série sonhei
Nas espumas do mar em flor
Nenhuma com o teu olhar
Perfume, semblante e calor

Ou o sabor dos teus lábios confusos
Onde o meu frenesi se calou

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

23/01/2014
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.