terça-feira, 21 de janeiro de 2014

ODE A DOR II

ODE A DOR II

De todas as ilusões
A dor é a mais delirante
Enlouquece os mais sãos
Pode deixar zarolho

Torna fraco o rinoceronte
Faz qualquer um duvidar de si mesmo
Transforma materialistas em niilistas
Numa autoiconoclastia sorumbática  

Idiossincrasia que tira todo o sentido
De onde já nem havia
Vira noite o dia mais claro
O mais raro momento de sinestesia

Já não vale
Nem a metade da anestesia

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR
21/01/2014
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.