domingo, 25 de maio de 2014

NENHUM VERSO SOBRARÁ



E tudo a terra há de comer
Até o refrão desta canção irá fenecer
Quando florescer o dia
Na agonia do não ser

O teu sorriso que me faz enlouquecer
As asas que perdi no alvorecer
Até a lua crua ira desaparecer
Deixará de ser satélite

Porque para o átomo não existe elite
Um só tom dita os idos do universo
Nenhum verso sobrará
De Sobral à Guatemala

Do Himalaia ao Pará
Quem manda é o paradoxo e não o prazer

Ateu Poeta

24/05/2014
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.