Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

sábado, 30 de agosto de 2014

SOLACE


O sol nasce pra tolos
Poetas moram na lua
Com sua louca lucidez
A acidez para poucos

Os loucos se apaixoanm
Mergulham de cabeça
Ciclones se clonam
Connan de bandido vira herói

Os malandros colhem da noite
As sombras de Pandora
Estradas celtas, gregos dinamômetros
Livros chineses de papéis fenícios

Guerras persas espalham o sangue judeu
Onde estão as valkírias Muhammad prometeu?

Ateu Poeta
30/08/2014

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

FACA NAS MÃOS

FACA NAS MÃOS

Vip, top, pop; reis do presidencialismo
Mapas astronômicos vistos como astrológicos
Levam ditadura por comunismo
Captam ilógico capitalismo

A sombra serve a todos
Os tolos se viciam no sol
Engolem isca e anzol
Os famintos morrem pela boca

Money monologa, molda o mundo
Homologa moda, muda e semente
Serpente da traição e ostracismo
No abismo não há corrimão

Amigos não mentem assim
Com faca nas mãos

Ateu Poeta
28/08/2014

terça-feira, 26 de agosto de 2014

MINHA JANELA

MINHA JANELA

Quero a imagem à margem do meu ser
O frio da minha janela expulsa as quimeras do mundo
Esse verde sopro de vida desafoga o torpor
Ao topo do esplendor em prazer profundo

Como é linda a minha serra!
Terra da qual sinto saudade
Só em casa sigo em paz
Até as estrelas soam diferente no meu céu

A lua canta em seu altar sem coronel
Liberdade é poder ficar
O resto é insanidade
Sede a saciar

Pra que me preocupar com repentinos cartéis
E concatenações de dicotomias cruéis?

Ateu Poeta
26/08/2014

CORAÇÃO DE LEGO

CORAÇÃO DE LEGO

Se meu coração fosse de lego
eu punha um cérebro no lugar
Não entraria prego nem martelo
Ou quem não merecesse altar

E a vida fluiria melhor
com prazer subversivo
Meu peito cantaria Patativa
Enquanto a mão recitaria Djavan 

Na anticífera manhã
Nanã e mucunã entrariam para o dicionário
Libertário e reacionário veriam a razão 
Cada qual em sua prisão infugível

O que seria incrível nessa bossa
Saber o sabor da nossa caverna de Platão

Ateu Poeta
26/08/2014

MEIGA MERA QUIMERA

http://ateupoeta.blogspot.com.br/2014/08/meiga-mera-quimera.html
MEIGA MERA QUIMERA

Vinhedos ouvindo Vivaldi para viver
Fogo na praia
Seca e racionamento
Pátria em campanha eleitoral

Sei lá, tudo ritual
Poetas sem igual no anonimato
Motos no meio do mato
Acidentes descomunais no asfalto

Eu vi 5 estrelas cadentes
Meteoritos da negra estratosfera
Mesmo fera adestrada mata
Quando enlouquece a sua quimera

Na mediocridade embutida
No seio da sociedade

Ateu Poeta
26/08/2014

NO SEIO DA AURORA

NO SEIO DA AURORA

Palavras já mudaram o mundo
Mas nenhuma das que pronunciei
Entre escolhas e renúncias
Perdi meu par e não tenho rei

Esqueci pronúncias, enxadas e pás
Estradas tortas.me levam para lugar algum
Não filho de Deus nem do Diabo
Viracocha, Xiva ou Ogum

Não sou personagem de Servantes
Servo de Dante ou Lorde Byron 
Barão de Burbom ou baronesa de neon
Em diamantina fortaleza de Aión 

Nas asas do condor meu sonho mora
No seio da aurora escondo a minha dor

Ateu Poeta
26/08/2014

A PEDRA DO SOL: VIKINGS NAS AMÉRICAS

VIKINGS NAS AMÉRICAS

Os olhos de algumas aves são capazes de  ver o sol através das nuvens por meio de uma filtragem luminosa chamada de polarização ou birrefringência, que consiste em criar duas sombras de um objeto que se unem em uma só quando se está na direção do sol. O motivo de tal capacidade deve ser para que elas não percam a orientação durante o voo migratório.

Esse efeito de birrefringência pode também ser criado artificialmente por alguns vidros especiais e por objetos diáfanos e um desses objetos é a pedra conhecida como calcita holandesa ou espato da Islândia e esse artefato pode ter chegado às mãos do povo chamado Viking (cujo nome real não sabemos) quando estes conquistaram a Islândia.

O povo Viking é descendente dos Celtas (cujo nome também não sabemos) que eram chamados de Keltoy pelos povos Gregos e nomeados de Gauleses inicialmente pelo general romano Caio Júlio César (ou Gaio Ivlio Caésar). 

Os Vikings podem ter chegado às Américas antes de Colombo usando uma pedra de orientação solar chamada de pedra do sol que permitiria saber a localização do sol em dias nublados pelo efeito de birrefringência. O continente em questão não teve nome atribuído nem aos Vikings nem a Colombo mas a Américo Vespúcio.

Na literatura celta existem pelo menos 12 referências à tal pedra do sol, que não podemo assegurar se é real porque essas mesmas estórias citam pedras mágicas, o que não existe por ser mera mistificação.

Porém, já que os Vikings tinham os melhores barcos em sua época, conquistaram a Islândia e podem ter vindo ás Américas, se a pedra do sol os orientou com esse efeito que existe no espato da Islândia, a pedra do sol poderá ser justamente o espato da Islândia, se os Vikings tiverem descoberto nele essa propriedade de birrefringência que obviamente usariam para orientação marítima.

Para saber mais a respeito, ver as séries: "Os bárbaros" na "TV Escola" e "Mistérios da História" no canal "National Geograpich". 


Ateu Poeta
26/08/2014

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

A MANSÃO DE MARIA


Há anos que Maria se humilhava para viver como amante de Antony e ser por ele mantida com muito dinheiro tendo tudo do bom e do melhor. Mas tudo um dia enjoa, mesmo que nem sempre por vontade própria.

Eis que naquela manhã um homem não tão forte, porém muito corajoso, invade a mansão de Antony, acertando a cabeça de inúmeros capangas e seguranças até chegar ao quarto, presenciando uma das cenas rotineiras em que Maria apanhava na cara a todo vapor. 

Nisso, Antony é atacado pelo invasor que lhe morde o pescoço, talvez golpe aprendido com aquele jogador do Uruguai.

_O que é isso?_ Perguntou Antony após enfiar os dedos no nariz de seu agressor e derrubar-lo no chão. _Você é maluco?

_Ele veio me salvar, seu idiota! _Respondeu a mulher submissa que se transmutava dentro de Maria, desejando liberdade; por isso acertava naquele instante a têmpora esquerda do seu macho e senhor com as duas mãos. E bateu, e bateu, com todo o ódio daquele amargo coração.

Após matá-lo, roubou todos os documentos e deu a um sósia. Já no abanco, com ajuda de um terceiro comparsa, ela criou uma conta para si, roubando todo o dinheiro de Antony.

Agora era só esconder o corpo morto do ex-amante, embora não fosse sua especialidade, porque ela era boa mesmo era em esconder sua mente, seus anseios, desejos e decepções.

Sua habilidade maior, além de servir, era conquistar, seduzir e mostrar seu corpo inteiro aos homens. Nunca matara ninguém, mas a sua ganância era maior que tudo; o traço mair forte de sua personalidade.

Já tinha dinheiro para toda uma vida de luxo ao lado do homem que realmente amava. Não mais o corpo que era escravo, mas a mente e o coração demente daquela ex-frágil mulher.

Talvez a resposta sempre esteja na fuga, dado que a própria vida é uma grande prisão.

Ateu Poeta
22/08/2014





quarta-feira, 20 de agosto de 2014

MARIA OU AMARIANA

MARIA OU MARIANA

Nunca aprendi seu nome
Esqueci seu telefone
Foi quando me perdi
Foi quando me perdi

Arritmia eletrostática
Sinfonia magmática
Matei as flores do jardim
Matei as flores do jardim

Não trago nada nas mãos
Nem buquê com laço ou poesia que faço
Minha mente é magnética
Tola teia de ilusão, tola teia de ilusão

refrão:
Ana, Joana, Maria ou Mariana?
Meu coração só quer você, meu coração só quer você 
(repete 3x)

Ateu Poeta
20/08/2014

TAUTOLOGIA


Só penso em repetições
Tautologia do traço
Por isso os desenhos que faço
Não são mais do que frações

Odeio matemática
E toda coisa enigmática
O mistério me distrai
A paralaxe o paradoxo atrai

O ortodoxo a cultura trai
Por não saber recriar
Hipérboles serão sempre pequenas
Ante as verbenas do mundo 

Moro numa bila que gira azul na galáxia
Graças ao blue do carbono

Ateu Poeta
20/08/2014

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

MERCADO NEGRO

MERCADO NEGRO


Somos filhos da pressão
E escravos do alívio
Escuridão
Basalto em alto nível

Advergames doutra dimensão
Zathura, Zatara, Zaratustra e Zarapelho
Segredos perdidos no espelho
Estou vermelho por ser mera ramificação

A razão agora é tão irracional
Emergida na droga da religião
Política, padrão, vícios do poder
Correntes amargas no alvorecer

Meu coração foi vendido no mercado negro
Mais cérebro é o medo da televisão

Ateu Poeta 
18/08/2014

A BRISA BROTA

A BRISA BROTA


Não colho margaridas nessa amarga vida
Sou só beija-flor
A voar por aí sem amor
Entre rosas coloridas

O mundo é um grande jardim
De espinhos daninhos e labirintos
Gatos mortos no corinto
Da brisa brota o jasmim

Sempre em busca do néctar
É simples a minha missão
Coração em constante pressão
Com a pressa do amante a detectar

O aroma mais inebriante
No fascinante sorriso do mar

Ateu Poeta 
18/08/2014

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

VENTO FRIO E VÃO

VENTO FRIO E VÃO

E se eu não sentir essa vontade muito louca
De beijar sua boca de madrugada até o amanhecer?
Quando eu não puder vestir-me com seu carinho
Sanando a saudade com sabor e saber

E se no fim só construirmos mentiras
Meras vidas de armadilhas
Fantasias onerosas sem prazer
Quimera que finge Nefertári ser

Não quero um tesouro perfeito
Beber o néctar da sua fonte de amor
Já me deixa satisfeito
De dentro do peito é que vem o valor

Se for ilusão eu vou embora
Agora. No vento frio e vão

Ateu Poeta
14/08/2014

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

SAFIRA E SAFÁRI

SAFIRA E SAFÁRI

Safári no seu corpo
Sempre fez enlouquecer
Olhos de safira 
Feitos para o bel prazer
(refrão)

Fingir-se de morto 
É o truque mais antigo
Dos animais amáveis 
Aos ferinos bandidos
(refrão)

Folhas frias no asfalto
Ferem meu ego bem lá no alto
Meu pulmão de aço falha
Nada mais é o mundo do que grande mortalha

refrão:
Não aprendi a viver
No seio dessa selva, perdido sem você (3x)

Ateu Poeta
11/08/2014

sábado, 9 de agosto de 2014

IMPÉRIO

IMPÉRIO

Beijo que brota em lá menor
Para que pormenores
Se dias melhores virão?
Ou não, ou não
(refrão)

Refração, refrão, fração fractal
Que o universo espectral 
Vire do avesso
Desejo, verso e sinfonia
(refrão)

Já perdi a linguagem
Toda a sua sintonia
E o lirismo eufórico
Que a a tarde trazia 

refrão:
Só importa a melodia 
Que impera no seu coração

Ateu Poeta
09/08/2014

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

TOUT MON CIEL

TOUT MON CIEL

Mon amour, mademoiselle
Tu es le monde
Tout mon ciel
Amore davvero
(refrão)

Angeli di poesia
Siempre sincero
Sin nostalgia
Eres el sol en sinfonia
(refrão)

Luna de mi ojos 
En médio dia 
Meu coração brilha em magia
Nesta canção de alegria

refrão:
I have a dream, I have a dream
You loved me, You loved me

Ateu Poeta
Pacoti-Ceará
08/08/2014

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

O0 MENESTREL


Só falo de mim
Porque o pouco que sei
Não diz nada
Uma parábola errada

Nesse paradoxo mundo
Poeta ortodoxo
Preso em paralaxe
Qual o preço do progresso?

Seria perder a rima?
Abandonar o soneto?
Deixar de ser menestrel?
Talvez esquecer as perguntas

 E os sonhos ao léo
Será  a vida ávido quartel?

Ateu Poeta
Pacoti-Ceará

sábado, 2 de agosto de 2014

MONTE CASTELLO

MONTE CASTELLO

A vida é engrenagem química
Que alquimia alguma entenderia
Anticífera, antítese, Andaluzia
Harmonia e caos

Caso que a superstição jamais aceitaria
 Órion, Andrômeda e Magalhães
Cúmulo Nimbus sem Magritte
Nenhum príncipe que grite

No ocaso da nebulosa mais vermelha
Centelhas no coração do mar
Daymon, xir e poiesis 
Elixir de aporética nietzscheana

Tiros de sangue em Monte Castello
Hermenêutica sem elo paralelo

Ateu Poeta
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.