Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

FLOR DO MEU MUNDO

FLOR DO MEU MUNDO

Quero teu caos
Medos, anseios, segredos
Desejos, sorrisos e olhares
Vagar por todos os mares

Acordar cedo ao teu lado
Emplumando este sonho alado
Entrego aos teus cuidados
Todo o meu coração

Só não podes transformá-lo em brinquedo
Quero fazer do teu jogo canção
E do fogo paixão
Porque esta sede cresce feito cedro

Sobre um campo de paz, seda e veludo
Mais do que sede, és a flor do meu mundo

Ateu Poeta
31/10/2014

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

MINHA ESTRELA GUIA

MINHA ESTRELA GUIA

Você acelerou meu coração
Valeu à pena viver
Volte logo para mim
Pois já chega de sofrer

Para que cultivar saudade
Vaidade de ilusão
Que vira insanidade
Nostalgia em ação?

Por isso peço, não vá
Venha correndo me ver
Por amor ou caridade
Para a felicidade florescer

Seja noite ou dia, apareça na multidão
Estrela guia que irradia minha fria solidão

Ateu Poeta
29/10/2014

terça-feira, 28 de outubro de 2014

LADY KATE

LADY KATE

Não consegue entrar pra real society 
Quer ser socialite
Mas não sabe o que é light
E nem o que é diet

É mantida por um senador
Contrata até um instrutor
Agora que saiu da rua
Segue a moda e tira onda de perua

O seu grande dom é mesmo rebolar
Vai na passarela que é hora de brilhar 
Então  se vira e roda a bolsinha
Roda a baiana e ajeita a calcinha

Força na peruca, força na peruca, força na peruca
Força, força na peruca

Ateu Poeta
28/10/2014

terça-feira, 21 de outubro de 2014

CATRINE

CATRINE

O que é igual cansa até na cama
Miragem de maminoramas
Múltiplos mutantes, nenhum jasmim 
Mil variantes de mim

O mundo não é virtuoso e virtual
Universo de hologramas da caverna digital
Vinte e duas gramas no sinal espectral 
Paralaxe fractal de fliperamas

Desejo é o doce beijo do vazio
Num dia frio sonhando com o mar
Tiro de fuzil no estio 
Promessa e pressa de poder amar

Catrine, nem tudo está na vitrine
Desafie o destino. Não desafine

Ateu Poeta
21/10/2014

domingo, 19 de outubro de 2014

O NÁUFRAGO

O NÁUFRAGO

Somos todos náufragos
Sem sombra de lucidez
Que a cada mês
Vivem dois dias ou três


Não há fera aquática
Nessa jangada à deriva
A tática é pescar
E não pescar

A morte não é sorte, é vão
Aaa felicidade é só paliativo
Para aesquecer a verdade
Vaidade é ilusão 

Paixões que vem e vão 
À beira do vulcão

Ateu Poeta
19/10/2014

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

ANANSI

ANANSI

Rimas pobres cobrem mil mundos
Vão-se cobres, cortes, cortes, cores e colibris
Que se dobrem Mateus e Raimundos
Ishtar está em transe

O soneto é isento de sentido
Caliente romance no ar
Sem transação, sentido ou altar
Vãos de calibres vorazes 

Calíope, Calisto, Calipso, Calígula
Vagabundos a devanear veleiros
Estanho estranho em êxtase 
Velas velozes envolvem marés

Voo tão sertanejo na seca
Não há Anansi que amanse o mar

Ateu Poeta
17/10/2014

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

LIPOFOBIA

LIPOFOBIA

Vigorexia, ortorexia, anorexia sintomática
Matemática sistemática eremita
Agiografia, jejum, o estresse mata
Virgens que não comem nada, nem a nata

Gastronomia obesa
Mostre modos à mesa
o mito agora é profano e secular
Arritmia agorafóbica da agonia

O mal do mundo é anomalia
A Somália passa fome
Não pode desfrutar 
Do fruto proibido que à libido está

Os pecados capitais já foram prazeres
Bem-vindo ao século da hipocondria bipolar

Ateu Poeta
13/10/2014

ARTE DE PRETO E DE BRANCO

ARTE DE PRETO E DE BRANCO

Capoeira é de preto e de branco
É de tapuia e tupi
É de Pastinha e Bimba
De Ganga Zumba e Zumbi

Capoeira é do frevo o fervor
Maculelê, Maneiro pau
Mãe da dança de rua
Se o berimbau chamar eu vou 

É de malandro carioca
Zé, Besouro e Saci
Hulk, Madame e Manduca
É de lá e daqui

Capoeira agora é mundial, ela é de todo mundo
É minha arte marcial e tenho orgulho profundo

Ateu Poeta
13/10/2014

BALÉ NO ARREBOL

BALÉ NO ARREBOL

Minha vida é um buquê de axiomas
Com intrigas e aromas de porquê
Não me conforta qualquer razão
O próprio paradoxo paira em contramão 

O novo é tão ortodoxo quanto a imensidão da dúvida
E só cai feito luva onde não há mão 
Que me importa criar panteão
Se não consigo achar a porta do teu coração?

Teus lábios, labaredas, labirintos
Se forem sábios corintos a me acolher
Tanto faz se há colher em tua Matrix
E quais flores resolvas colher

Seremos simbiose de lirismo ao sol
Sonata e balé no arrebol

Ateu Poeta
13/10/2014



sexta-feira, 10 de outubro de 2014

INFERNO DE DANTE

                      http://ateupoeta.blogspot.com.br/2014/10/inferno-de-dante.html

INFERNO DE DANTE

Ah, o amor!
Essa dor incessante
Num coração errante
Que rima com flor

Flui para Dante
Um inferno niilista
Que não consta na lista
Deste céu de condor

Ícaro ao sol entoa a canção
A queda é certa
Doce escuridão
Deixa a mente deserta

Nostalgia que aperta o fio da razão
O poeta na pista perdeu a ilusão

ATEU POETA
10/10/2014

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

SONATA DE ILUSÕES

SONATA DE ILUSÕES

A vida não é uma trilogia franquiada 
Escrita por Moros, Caos, Nix e mazelas 
Controlada pela tesoura e linha das moiras
Lida pelo olho de Hórus em aquarela

Mas, mero molho misturado sem hespérides
Sopa elemental de hidrogênio sem Idun
Ligações carbônicas sem deus algum
Inequações astronômicas sem quimeras

Caverna sem Platão, fogo ou maçã
Taberna sem Ditirambos
Revés de funk em tango
Bela sonata de ilusões

Aprimorada e destruída pelo oxigênio
Sem nenhum gênio ceifador

Ateu Poeta
08/10/2014

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

MEU MUNDO PAIRA

MEU MUNDO PAIRA

O mundo pira no seu rebolado
Meu mundo para no seu requebrado
E tudo paira nesse seu gingado
O coração pula apaixonado

O verso triste desversificado 
E todo mundo de olho vidrado
O resto fica pra depois, de lado
Nessa hora não nada errado

Vamos embora
Estou atrasado 
Eu quero ver-te
Muito encantado

A pista gira, som alucinado
Nada, nenhum e nem ninguém parado

Ateu Poeta
06/10/2014
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.