quinta-feira, 29 de maio de 2014

ÉS MEU SOL

ÉS MEU SOL

Perdido na tempestade
Ando só no arrebol
Quando a saudade invade meu peito
És meu sol

Cada minuto sem ti
Foi ano-luz rarefeito que senti
Sorriso angelical com feitiço
Feito quadro de Magritte

Talvez a paixão seja um vício ou defeito
Que à mente irrite
Isso sufoca o coração com efeito
E não há razão que controle, acredite

Sem controle nem botão
É tudo vento e vão

Ateu Poeta

29/05/2014

ÁVIDA VIDA



Paixão é dor que rói
Cada dia mais forte
Destrói qualquer vento norte
No horizonte que se foi

Bumerangue à mercê do instinto
Sonho de liberdade extinto
Incêndio sem extintor
Nem piedade

Oh! Insanidade
Eros, vê se me erra!
Sabes tu que já estou em guerra
Pois o que mais seria a vida?

Ávida e sem saída
Agora ando sem guarida

Ateu Poeta
29/05/2014

PARAÍSO DOS TEUS OLHOS

PARAÍSO DOS TEUS OLHOS

Tua voz já é foz em meu peito
Templo da paixão, perdição
Não tem jeito
Miragem à milhas daqui

Margem de ilhas
Do Caribe à Pequim
Quero-te assim, manequim
Aqui

Junto a mim
Não importa em que porta está o fim
Contigo sou infinito e sei voar
E nada é mais bonito que o ar

No paraíso dos teus olhos
E no abismo do teu mar

Ateu Poeta

29/05/2014

terça-feira, 27 de maio de 2014

PUNK FEITO POESIA


Não adianta lamentar
Pelo que não viveu
Depois do ocaso
Adeus e nada mais

Aí jaz sem jazz nem blues
Não interessa se foi acaso
Ou proposital
Etecetera e tal

Tanto faz
O que importa é que você surgiu
E o céu se abriu num sorriso
Lindo, azul e incisivo no meu coração

A vida entrou no pulmão
Punk, feito poesia em vulcão

Ateu Poeta

28/05/2014

segunda-feira, 26 de maio de 2014

SONHOS AO VENTO

SONHOS AO VENTO

Soltes teus sonhos ao vento
Que o alento se propagará
Atento ao tempo caça o carcará
Em voo sem freio

Por que nem só do condor é o céu
Cada um é menestrel
No mundo seu
Com asas perfeitas

Paralelas ao cantar
E não devem ser cortadas
Mas ensinadas a voar
Cada vez mais alto e rápido

Para no fim
Poder rapinar

Ateu Poeta

26/05/2014

domingo, 25 de maio de 2014

CAMINHO DE FLORES

CAMINHO DE FLORES

Quando todos os caminhos
Forem flores
O arco-íris tiver mais cores
Ainda haverá espinhos?

O olho do sol
Só queimará fantasia
Arrebol será poesia
Música, sinestesia

Anestesia virá do perfume
As florestas substituirão as fábricas
Na Europa, África e Oceania
A ventania da Antártida

Congelará o efeito-estufa
E a América não tomará as trufas de ninguém

Ateu Poeta

25/05/2014

NENHUM VERSO SOBRARÁ



E tudo a terra há de comer
Até o refrão desta canção irá fenecer
Quando florescer o dia
Na agonia do não ser

O teu sorriso que me faz enlouquecer
As asas que perdi no alvorecer
Até a lua crua ira desaparecer
Deixará de ser satélite

Porque para o átomo não existe elite
Um só tom dita os idos do universo
Nenhum verso sobrará
De Sobral à Guatemala

Do Himalaia ao Pará
Quem manda é o paradoxo e não o prazer

Ateu Poeta

24/05/2014

quinta-feira, 22 de maio de 2014

FLOR DE JASMIM



És poesia
No meu peito a cantar
Sinfonia do mar
Bosques e jardins

Num sonho sem fim
De sempre mergulhar
O universo é altar
De teus olhos assim

Sopro de clarim
Sorriso de querubim
Iluminas o sol
Em pleno arrebol

Só sei que te quero pra mim
Luz do luar, minha flor de jasmim

Ateu Poeta

22/05/2014

domingo, 18 de maio de 2014

DANÇANDO NA CHUVA

DANÇANDO NA CHUVA

Um dia dançaremos na chuva
Se cairmos feito luva
Um ao outro
Se a paixão for risoto solto no ar

Seu sorriso que faz prosperar os sonhos mais loucos
Alimentará para sempre a minha mente
Que fluirá um dia no universo afora
E com a tua voltará de novo ao caos

Onde os átomos se abraçam
O big-bang no meu peito
É pouco mais que poesia e música
No ritmo dos seus olhos

De semblante simbolista em Abrolhos
Sem horizonte nem oriente

Ateu Poeta
18/05/2014

sexta-feira, 16 de maio de 2014

A TUA POESIA


A TUA POESIA

Mostre-me a tua poesia
E eu saberei da alegria que há em viver
Quando mergulhar em tuas fantasias
Víveres das vísceras florescer

Verei teu seio no regaço da montanha
Nos olhos do mar, teu rosto
Sobreposto do sonhar
Se o lápis falhar

Arranques uma de tuas plumas
E dê asas ao tinteiro
Que pode ser o derradeiro voo
Ou o fio certeiro de Fântasos

Teseu está preso no pântano
Cries versos dos reversos de Morfeu

Ateu Poeta
16/05/2014

À CAÇA



E se um dia cair a tua espada
Saibas que não serás amada
Senão pela morte
Toda a má sorte te procurará

Quem para de lutar é sempre atingido
Em cada esquina um estampido
Rajada no ar
Troques o terror pela fúria

Explodas como fogo de dragão
Bala de canhão
Porque o vil torrão
Não tem dó de nada

Cries as próprias asas de cera
E sigas a caçar moinhos

Ateu Poeta
16/05/2014
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.