terça-feira, 27 de janeiro de 2015

INVENTOR DE POESIAS

INVENTOR DE POESIAS

Nessa vida em que estou
Para não virar robô 
Em dias de ventania
No seio da sinfonia me escondo

Compondo sobre o birô 
Não sei para onde vou
Outro mundo ou universo
Reverso torto de fantasia

Miragens e menestréis sem tocar a campainha
Paisagem que a extasia 
Barulho de estrela minha
Nuvens turvas, maresias

Nada mais sou 
Que inventor de poesias

Ateu Poeta
27/01/2015
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.