sábado, 7 de março de 2015

DEUS DE ILUSÃO


DEUS DE ILUSÃO

refrão: Que história é essa que o verbo se fez carne?
Cale a boca e deixe de alarde!

O verbo se fez subversivo
Porque estava vivo e longe da prisão
Ficção além do teu juízo
De juiz que não sai do balcão

Queria escrever uma canção em poesia
Louca sinfonia no alvorecer
Que desate esse ocaso carrasco sem sintonia
Triste melodia do entardecer

Quem dera matar a mentira da mente
Tolher a torpe semente da destruição
O verbo se fez verso mas está morto
No peito torto de um deus de ilusão

Ateu Poeta
07/03/2015
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.