quinta-feira, 16 de abril de 2015

A CAVERNA DA HERMENÊUTICA

A CAVERNA DA HERMENÊUTICA

Ateu anarquista de esquerda
Vindo na via da contramão
Diagrama sem dado dinamômetro
Pedaços de carbono nas vidraças da avenida

Diário sem diâmetro da contradição
A vida não nasceu na sua mão ferida
Tudo feneceu neste céu deprimente
Mundo mudo sem guarida ardente

Universo digital, diagonal, decadente
Caverna sem saída no seio do aforismo
Velha verve venta, veia voz inventa
Verso que ostenta diversidades elétricas

Tanta ternura tênue e tétrica
Tântalo intrínseco em tristes tempestades herméticas
  
Ateu Poeta
16/04/2015
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.