segunda-feira, 20 de abril de 2015

NAVE ESPACIAL

http://ateupoeta.blogspot.com.br/2015/04/nave-espacial.html
NAVE ESPACIAL

Quem fala a minha língua mora em outra galáxia
Um dia eu construo a minha nave espacial
Rompendo o universo espectral dessa microcósmica caverna
Platônica existência de carbono em decadência

Interferência da prisão cultural sobre meus ombros atlânticos
Sisífica realidade da labuta sem alcance de Nêmesis
Tântalo, Hipnos, Aión, Arké Apolo-dionisíaca 
Aurora do alvorecer, Thanatizado ocaso ariano
Busca-se paz, mas a vida é Caos, Nix, Prometeus e Quimeras 

Que negam a maçã de Idun, perdida por Oxum no jardim
Comida por um Adam que deveria ser imortal querubim
Quem dera em alguma era sem Hera nem Zeus
 Deus preso na caixa de Pandora

Daiymon impere com amperes que amparem os perdidos 
E os provectos poetas prosperem

Ateu Poeta
20/04/2015
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.