segunda-feira, 20 de abril de 2015

ORQUESTRA DE BALAS E BOMBAS

ORQUESTRA DE BALAS E BOMBAS

De eterno apenas a luta, o luto e a lida
A vida viaja em versos vorazes
Amargos nas vozes
Trágica tradução atrás das três tristes atrizes atrozes

A vez da foz jamais prolifera
A dominação da fera é feita deveras de feno feroz
Fere o faro, fino frio e forte
O universo se manifesta na estatística estática

Mesmo nos ladrilhos de barro da caverna
O que há na cabeça dessa gente
Que arranca o dente por ente que não há?
Crianças criadas como carrascos

Muitos monstros mordazes, ases para matar
Sombrios maestros da orquestra maldita

Ateu Poeta
20/04/2015
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.