Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

terça-feira, 16 de junho de 2015

RIMAS AO MAR

RIMAS AO MAR

Colombina bailarina
Menina que voa bem no seio da canção
Nesta vida serpentina
Purpurina púrpura em polvorosa de ação

Na tua boca espadas são flores
Fábricas frenéticas de febre e frenesi
Dialética de dissabores
Mas teus olhos são tiros de canhão em si

No fim do dia surge novo clarão
Poderia ser folia
Mas é maresia dentre fogo, jogo e vulcão
Cadmos planta gigantes dentes de dragão

Prepare a pontaria
Mega era megera de disputas, crimes e inflação
Eu queria sinfonia
Poesia pura e perene à própria perfeição

A infante infantaria parte a pátria para a próxima partida
Pare os podres párias do porão
Partilha propósitos de postos posto à preços piratas
Palácio, planalto, poder: patifaria em plena prontidão

Pressa sempre sem apreço
Arremesso sem medida ou começo
Escravos do trabalho, da demência e da razão
Cuidado com o rabo do escorpião!

Sinestésica euforia
Se série séria sereno sereiar
Sem saber o sabor sobre o sabre
Será mesmo a esmo remar rimas ao mar?

Ateu Poeta
17/06/2015