domingo, 19 de julho de 2015

DISPAROS DÍSPARES

DISPAROS DÍSPARES

Dispares
 Díspares olhares
Em minha direção
Que eu morro

No seio do morro
Na mesma canção
Que vulcão
Peço socorro a Adão

No refrão
Existe alguma maçã no jardim
 Querubim?
Já nem sei se cheguei ao meu fim

Tampouco ao começo
De arremesso
Não meço palavras de gesso
Adereço

Não lembro do teu endereço
Reconheço
O desejo vem
E me vira do avesso

Enfim, sem saída
Entendo tão pouco de mim
E dessa vida
Nem mesmo encontrei a guarida

Na lida
Nem lembro se sei dizer sim
Só de ida
Estrada ditada não deve ser lida

Ateu Poeta
19/07/2015
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.