Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

O CONDOR É QUEM DIZ

O CONDOR É QUEM DIZ

É preciso compor o tostão de cada dia
Cantar o refrão
Comprar pão e farinha
Arroz e feijão

Nessa vida daninha
Viver de ilusão já não dá mais
Vem outra canção
Do Japão à Aquiraz 

Para ter paz e ser feliz
Tem que mandar no próprio nariz
Expulsar jogador
Narrador e juiz

Derrubar o andor
O condor é quem diz

Ateu Poeta
30/01/201

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

ASGARD

ASGARD

A minha mente é um monte de músicas
Semente, serpente
Vício de versejar
Viagem, miragem

Com sabor salutar
Eleusis, Queronte
Ponte para upar
Fonte de frente para o mar

O canto de Kant sempre cantará
Olimpo, Hell, Valhala e Asgar
Oráculo grego
Ego a inigualar

Tudo que é prego
Prega lego no ar

Ateu Poeta
28/01/2015

FLORES

FLORES

Onde estão as flores?
Amores vão e vem
Nesta vida que é verso
Verve, vento e vagão

Aliteração de clamores
Dores
Dissabores
Que diluem o tempo

Ando lento porque não sei voar
E parar muito menos
A longa estrada me chama
Oh! Que vontade de ir à lua

Ou aos satélites da minha cama
O sonho nunca apaga a chama

Ateu Poeta
28/01/2015

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

INVENTOR DE POESIAS

INVENTOR DE POESIAS

Nessa vida em que estou
Para não virar robô 
Em dias de ventania
No seio da sinfonia me escondo

Compondo sobre o birô 
Não sei para onde vou
Outro mundo ou universo
Reverso torto de fantasia

Miragens e menestréis sem tocar a campainha
Paisagem que a extasia 
Barulho de estrela minha
Nuvens turvas, maresias

Nada mais sou 
Que inventor de poesias

Ateu Poeta
27/01/2015

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

SABOR DE CANÇÃO

SABOR DE CANÇÃO 

Não precisas ser igual nem ideal
Ou mesmo pretender perfeição
A tua simples presença
Preenche o infindo vazio

Do meu coração
Sorriso de arrebol
Olhar de ocaso
Doce brilho do sol

Diversos miosótis 
Frenesi de versos
Universo de neon 
Orvalho de constelação 

Tudo toca em outro tom
Tens sabor de canção

Ateu Poeta
26/01/2014

domingo, 25 de janeiro de 2015

ÂNCORA DE MAÇÃ

ÂNCORA DE MAÇÃ

Em tua boca a noite é maçã
Pela manhã uma sede me invade
Somente a felicidade sacia
O tempo não faz sentido

Afã e afinco num mar de avelã
Minha pele de zinco
Deixa passar frio e calor
Um rio perene que escoa

Cada escolha transborda e ecoa
Paz, caos e libido
Esse silêncio traz um trágico estampido
Quando a saudade grita o teu nome

Passarinhos cantam poesia na aurora
Agora a verve da vida em meu peito se ancora

Ateu Poeta
26/01/2015

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

O MESTRE

O MESTRE

O verdadeiro mestre deseja sempre discípulos mais inteligentes que ele próprio, pois ferve em seu âmago um desejo de ser superado e fica feliz toda vez que acontece.

Talvez a lição do Zaratustra nietzschiano seja a mesma maiêutica que Platão atribui a Sócrates mas expressa de uma forma contundente e de repente o homem que transborda, ou Übermensch, seja exatamente aquele que Diógenes, o cínico, discípulo de Epicuro, procurava com a lanterna na mão. Esse homem provavelmente seria Sócrates.

Nenhum deles procurou um homem á frente de seu tempo, muito menos um homem com a mente mais evoluída pela evolução, todos queriam apenas um verdadeiro mestre, e Nietzsche, que é um grande mestre, já não se contentava em achar apenas um, ele queria formar vários verdadeiros mestres; sua ânsia por ser superado talvez ardesse mais que a de todos os outros.

O verdadeiro mestre jamais diz ser o caminho, a verdade e muito menos a vida. Ele não fica feliz com a multidão de seguidores que simplesmente tenta digerir o que ele diz. O que realmente o faz feliz é quando acha questionadores que o confrontam, pois as melhores ideias nascem justamente nos grandes confrontos. 

Assim como a medicina evolui bastante durante as grandes guerras e nas epidemias por força de novos estudos, o pensamento racional precisa ser forçado por novos ângulos para saber de dentro do caleidoscópio da ilusão o que são miragens, falsificações e onde está de fato a verdade; que nem sempre pode ser vista a olho nu, mas, se é verdade, poderá ser vista de alguma forma, por algum vestígio real, lógico, racional e que nega totalmente a tolice que é a fé.

O verdadeiro mestre não sabe de tudo e não tem medo de perguntar, pois está sempre apto a aprender e a ensinar tudo o que sabe, pois vê no diálogo o momento crucial da vida; mesmo o diálogo que se tem consigo mesmo, porque há razões, ideias e verdades que só brotam no silêncio, porque o barulho as disfarça, distorce, esconde e falsifica a melodia original, barrando toda a sua fluidez. E somente a auto-dialética pode perfurar esse bloqueio.

Ateu Poeta
23/01/2015

domingo, 18 de janeiro de 2015

INVISÍVEL



O invisível mata mais
Insensível
Voraz
Arbitrário

Ser do contrário é trágico
É pedir para morrer
Explosão gera explosão
As quimeras estão soltas

Não há coração nem lucidez
É tudo acidez
O olho do furacão se aproxima
Na iminência do novo poder

Nada a provar
Tudo a derreter



Ateu Poeta

18/01/2015

sábado, 17 de janeiro de 2015

FINITUDE

FINITUDE
Sou um poeta feito de finitude
Delírios, defeitos e insensatez
Medos, orgulhos e sonhos
Que inveja o canto dos passarinhos

Mais do que as asas
Mas que também queria voar
Ter poderes de herói
Uma paixão infantil me corrói

Da qual jamais pude escapar
Quem dera não ser livro, mas livre
Em vez de desenhar desires
E pintar minhas correntes de ouro

O sistema sempre vence
Safáris e oásis são miragens para os tolos

Ateu Poeta

17/01/2015

O ANDARILHO

O ANDARILHO

Se me perguntares 
Os lugares onde andei
Tantos lares que nem sei
De aprendiz me fiz sensei 

Canto para kant
O meu futuro é delirante
Privo-me de pensar e apenas vivo
Meus passos não são largos na madrugada

Porque os pés pertencem à estrada
Pedaços e percalços deixados para trás
Descalço, na chuva, no sol, no caos e no cais
Em pleno seio do arrebol

Visão voltada para o alto
Pássaros passam a quilômetros do asfalto

Ateu Poeta
17/01/2014

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

VAMOS CELEBRAR A ESTUPIDEZ HUMANA

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

VAMOS CELEBRAR A ESTUPIDEZ HUMANA

VAMOS CELEBRAR A ESTUPIDEZ HUMANA

Todo mundo defendendo os muçulmanos contra a Charlie e o jornal, esquecendo do grupo Ísis e do Haram usando o termo que a grande mídia criou, a tal "islamofobia".

Que lindo!
Vamos esquecer os mais de 2 mil assassinados na Nigéria, as mais de 200 meninas sequestradas e vendidas como escravas sexuais.

Vamos esquecer todos os cristãos, ateus, judeus e budistas perseguidos pelos muçulmanos porque um desenho sobre um deus imaginário ou sobre o tal Muhammad, que fora outrora expulso e depois saqueara Meca, é mais importante que milhares de vidas humanas.

Ateu Poeta 
15/01/2015

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

NEFASTO MUNDO

NEFASTO MUNDO

Mar Vermelho de sangue
As ondas são balas de fuzil
A humanidade é um vírus
Dentre todos o mais vil

Estamos em extinção
Matando mais de dois mil
A religião abraça o terrorismo
Abrasa bombas no estio 

Voracidade sem fim
Sempre nasce um novo algoz
Todos viram ceifadores
As foices dão status

Tantas fábricas de Thanátos
Nefasto mundo dos horrores

Ateu Poeta
12/01/2015

sábado, 10 de janeiro de 2015

SOU ARTE

SOU ARTE

Uma parte de mim cria arte
A outra devora
Não sei o que fui outrora
Mas, doravante sem ela não sou nada

Talvez a vida seja uma piada amarga
Quem sabe? 
Daí, preciso de remédio para amargura
De onde brote candura entre as durezas do andar

Algo que me distraia da dor
Até permita esquecê-la
Musa com sabor céu e frenesi
Pelo qual valha a pena sorrir

Um motivo nesse sideral sem sentido
Onde espaço não há

Ateu Poeta 
10/01/2014

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

SOCIEDADE DE PLÁSTICO


É fogo contra fogo
Sociedade De plástico
Na frente da TV
Manda vê, põe a baixo

Desce o esculacho
Todo mundo roxo
Guerra, intolerância
Um aleijado, o outro coxo

Morrem dois irmãos
Vão para baixo do chão
Agora não importa o que dizia o Alcorão
Quem for de gelo que saia do meio

A bomba não tem cérebro
E a escopeta anda sem freio

Ateu Poeta
09/10/2014

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

SER DE MISTÉRIO

SER DE MISTÉRIO

A mulher busca três coisas
Que são seu prazer e perdição
A primeira é a vaidade
Pela qual mente a idade com discrição

Da segunda absorve a essência
O mistério é o mais ama
Sem ele seu mundo entra em falência
Quebra qual boneca de porcelana

A terceira é a competição
De onde sai a ação do seu olhar
Pode virar o ser mais sombrio
Fazer a sutil aurora corar

Olhos de lince, nariz farejador
Garras de águia e asas de condor

Ateu Poeta
07/01/2015

sábado, 3 de janeiro de 2015

TEOREMA DO GATO

http://ateupoeta.blogspot.com.br/2015/01/teorema-do-gato.html
TEOREMA DO GATO

Quando a vida está por um fio
Você sozinho sem nada a perder
O que valia à pena se esvai
Fria floresta a fenecer

Somente o vazio é perene
As lembranças se vão
Para que tanta correria
Se é tudo em vão?

Mas um ser evanesce
Mera mente de ilusão
Tantos planos, sonhos, mundos
Agora não resta nenhum

O ciclo recomeça
Um dia o gato vira atum

Ateu Poeta
03/01/2015