sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

BOMBA H

BOMBA H 

Nas mansões dos grandes chefões
Têm muitos carrões 
Particulares aviões
Para vis expedições 
Peregrinações
Granadas, mísseis e canhões
A moda é criar chavões
Principiar as explosões
Terrorismo invade as repartições 
Soltaram os escorpiões
Onde estão os corações
Que inventam canções?

De Bangladesh a Paris
Ninguém diz que é feliz
Bandido hoje é juiz
Mar de lama meretriz
A cama tudo contradiz
E a grana agarra a perdiz
Rapina rápido a matriz
Filiais e pó de giz
Arquiva as provas por um triz
Sem tremer nem o nariz
Arranca ramo e raiz
Suga o sangue e pede bis

Pela pelos, pele e perfis
Pela pátria imperatriz
Petróleo jorra em chafariz
Párea regra de Sarrus
Tudo é crise nos jornais
Triunfos viram carnavais
A navalha fere o cais
O vermelho já não pode mais
Que todo o mau descanse em paz
Aliteraram os litorais
Liteiras levam livros tais
Paralelos elos aos rivais

Cães nas câmaras quais
Ladram ladrões gravatais
Nem sempre cordiais
Gravatás grasnando temporais
Greves gravitacionais
O tempo é têmpora e vai embora
A aurora ancora seus rituais
Apolo inspira sãos e insanos
São tantos planos fenomenais
Por debaixo dos panos
Nas escotilhas
Tiros, detritos

Tristeza e atritos
Tudo vira ilha
De Detroit ao Vaticano
Todos entram pelo cano
A libido da Líbia chega ao Brasil
A tragédia de Biquíni jamais se extinguiu
Destrói a História quem jamais existiu
A flâmula afunda vidas no Ganges
A fé mata em massa, aos milhões
O prego prega com a Bíblia na mão
Vedas no ventilador
Corão causa imensa dor

Cega retaliação
E assim caminha a religião na relva
A selva das fogueiras é a trepanação
Nada é proibido pela cobiça de Alá
Ou para a expandir as fronteiras
Deus nunca esteve lá
Apenas o adeus
Que fez presidente chorar
No olho do caos
Na boca do tubarão
Brilham riquezas
Avarezas

Sonegação 
Negar a verdade
Polir a vaidade
Grega segregação
A sociedade adora sofrer
Cartéis de cruéis coronéis
Dão as podres cartas 
Do carrasco poder
Sem a menor saciedade
Mesmo assim
Os senhores da guerra
Morrem de medo de perder

Ateu Poeta
08/01/2016
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.