Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

sábado, 30 de janeiro de 2016

POEMA DE SOLIDÃO

POEMA DE SOLIDÃO

A gente não consegue entender
O coração não quer aceitar
Não é a distância o que separa
Cada um sabe o quanto vai sofrer
O que se conquistou faz encantar
Encontrar amizade é coisa rara

Até o Tempo calou
E fez a saudade delirar
Foi a tempestade que chegou
E o mundo para
O teatro acabou
A ribalta se recusa a baixar

O Universo acusa e faz sangrar
Ninguém se prepara
Lá se vai outro coração
A canção chega a transbordar
E de repente a solidão
Está na cara

Entra entre a multidão
E se instala
Feito vírus em ação
Feitor de forte açoite de fúria
O dia é noite
A religião só faz injúria

Em outra ala
A asa quebra
Celebra o que estala
Está lá no fio da mente
Na velha veia da navalha
A liberdade de pensar sempre foi cara

Ateu Poeta
30/01/2016