sábado, 10 de dezembro de 2016

POETISA

POETISA

Poetiza
Minha
Vida
Poetisa

Festa
Que atesta
O Feitiço
Festival

Carnívoro
Surreal
Shangri-La
Carnaval

Que São Paulo
Quer acabar
Na rua
Da Lua

Mona
Lisa
Que desliza
Na lição

O coração
Na produção
Se faz
Canção

Sem proporção
Estrela
Vespertina
Felina

Menina
Coralina
Cora
Desatina

Perseu
Desceu
Mora
Agora

No museu
Já se perdeu
Feito
Um frágil

Fariseu
Na esquina
Casual
Frenética

Do litoral
Que frisa
A Brisa
Sepulcral

A fera
Dilacera
A longa
Era espectral

Já não há
O mesmo ar
Celestial
Ritual

À espera
Da quimera
Que alitera
A esfera

Lituânia
Literária
Libertária
Literal

Sorumbática
Asmática
Aquática
Magmática

Estância
Estática
Instância
Na entrância

Asiática
Politeística
De querer
Guiar

Distância
Salutar
Discordância
Intolerância

Com a arrogância
A lutar
Doce
Dose

Dissidente
De dissonância
Ao deus
Dará

Poesia
Engrenagem
Grená
Fantasia

Anestesia
Com corpo
De mulher
Sinestesia

Alegria
Alegoria
Ao meio
Dia

Será
A inspiração
Mera
Euforia

Que a meditação
Não alivia?
Mesmo
Medicação

Afetaria
Medo
À explosão
Faria

Sumiria
A rima
Pobre
Até

Apareceria
Sem
O poema
Perecer

Como
Seria?
A fascinação
A florescer

Passarinho
A cantar
Sobre
A catarse

Do meu
Ninho
El niño
A glaciar

Ateu Poeta
11/12/2016
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.