domingo, 23 de outubro de 2011

PRESENTE

PRESENTE

Para sempre nada há de ser Seja, então, minha
Para o sempre que vier
Para o então de agora
Senhora, seja minha manhã,
Doce avelã da poesia, aurora
Pois tudo o que há é o presente

ATEU POETA