quinta-feira, 6 de junho de 2019

VULCÃO INTERGALÁCTICO

VULCÃO INTERGALÁCTICO

Os versos me escrevem
Descrevem
O que 
Nem quero
Saber
Sangram
Dores
Que fascinam
Sanidades me deliram
Dilaceram
E assassinam
O semblante
Do não-ser
São eles que me trazem
De volta 
Do abismo
Que habita em mim
Quando o escuro
Da caverna
Acorda
Carmesim
E o mundo
Amorna
A solidão
A saudade
Em flor
Aflora
O vulcão
Intergaláctico
No universo 
Paraláctico 
A Via Láctea 
É o meu jardim

Ateu Poeta
06/06/2019

quarta-feira, 1 de maio de 2019

A FLOR DO SAMBA

A FLOR DO SAMBA


A flor do samba se foi
Para sempre
Um mar de lágrimas
Afogou o meu coração

Grito de dor
Semeado na mente
Estrela que brilha
Enquanto houver canção

Ateu Poeta
01/05/2019

sexta-feira, 26 de abril de 2019

FELICIDADE INCAPITAL

FELICIDADE INCAPITAL



A felicidade não é um valor capital, econômico, tampouco intangível. Muitos sábios não são economicamente ricos, mas saudáveis.

A alegria está presente na insanidade, na euforia e atá na dor ou no prazer, mas, com ou sem razão de ser, ela é apenas uma mera alegoria. Finge dar sentido à vida, mas é megera ávida embebida em venenosa falsidade, irmã febril da frialdade, vicia; e todo vício é uma prisão.

Para alcançar a felicidade é preciso que haja luta mesmo contra as leis de conduta que nos guiam e agridem. É preciso perder-se no caminho para entender que a própria existência é labirinto e latência de si.

Nem toda resiliência é silente, mas sempre tangente, intransferível, intransigente, transforma o trans trotroir em treponema, tétrico travessão, transferidor, trave do verso-caos no seio do terror.

Ateu Poeta
26/04/2019

Eu não produzo o Sol, mas jogo espelhos vermelhos no arrebol Ateu Poeta 26/04/2019

https://ateupoeta.blogspot.com/2019/04/eu-nao-produzo-o-sol-mas-jogo-espelhos.html
Eu não produzo o Sol, mas jogo espelhos vermelhos no arrebol 
Ateu Poeta 
26/04/2019

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Não ser atingido é mais importante do que revidar, soldado morto não vê a guerra acabar. Ateu Poeta 24/04/2019


Não ser atingido é mais importante do que revidar, soldado morto não vê a guerra acabar

Ateu Poeta 
24/04/2019

O lirismo é o abismo da razão. Ateu Poeta 24/04/2019

O lirismo é o abismo da razão
Ateu Poeta
 24/04/2019

Nem tudo que é tântrico tem valor. Ateu Poeta 24/04/2019

https://ateupoeta.blogspot.com/2019/04/nem-tudo-que-e-tantrico-tem-valor-ateu.html
Nem tudo que é tântrico tem valor. Ateu Poeta 
24/04/2019

MITO TRAVESTI

MITO TRAVESTI

Nem toda figura no poder é um mestre. Muitos são meros mitos. O mestre faz o que está ao seu redor evoluir, já o mito é sempre um figura abismal. Mesmo quando travestida de bem, produz o mal.

Ateu Poeta
24/04/2019

PAIXÃO

PAIXÃO

A paixão
Perfura o coração
E faz sangrar
É ilusão
Incontrolável
Sem razão
Que atrai
É medusa
Quem cruza
O seu caminho
Cai
E se queima
No vulcão
A fera fere com lirismo
Aforismo de escorpião

Ateu Poeta
24/04/2019

OCASO NO CAIS

OCASO NO CAIS

O que é transparente demais
Fica invisível
Mas, quando brilha
Humilha
O mais incrível
Ocaso no cais

Ateu Poeta
24/04/2019

ILUSÃO QUE MATA

ILUSÃO QUE MATA

A saudade 
É ilusão 
Que  dói
Fria fúria
De vulcão
Que sangra
Mói a mente
Mata
Toda a vaidade
Canção
Da insanidade
Em Angra
Que corrói
O coração

Ateu Poeta
24/04/2019

OLHO SHARINGAN

OLHO SHARINGAN

Não tenho lar nem clã
Sou o trágico olho sharingan
O próprio vulcão
Dragão no seio do Vesúvio
Num dilúvio que nem sei
O meu sensei é a vida
Ávida na ferida
Que nos faz dolente
Dormente é o som silente
No olhar da serpente
Que me devora
A ucóra do quintal
Já foi embora
Na aurora 
Com avental
De vento
O tridente no no meu peito
Faz o coração sangrar
É rarefeito
Só a luta é salutar
Mas dói
Porque viver corrói
Cada fração do ser
Mais consciente 
Se consciente
Ele mesmo se destrói
Todo ofício vira vício
É precipício da mente

Ateu Poeta
24/04/2019

terça-feira, 23 de abril de 2019

PERIPATÉTICO

PERIPATÉTICO

Milico imbecil feito mito
Desfaz-se em mico e grito
Todo são será esquelético
Dialeto patológico
Peripatético patético

Ateu Poeta
23/04/2019

sábado, 20 de abril de 2019

A sapiência é um sabre sagaz. Ateu Poeta 20/04/2019

 https://ateupoeta.blogspot.com/2019/04/a-sapiencia-e-um-sabre-sagaz-ateu-poeta.html
A sapiência é um sabre sagaz 
Ateu Poeta 
20/04/2019

Paciência não faz efeito, faz favor. Ateu poeta 20/04/2019

Paciência não faz efeito, faz favor 

Ateu Poeta 
20/04/2019

Balão murcho não voa porque vive em vão. Ateu Poeta 20/04/2019/2019

Balão murcho não voa porque vive em vão
 Ateu Poeta 
20/04/2019

O som silente nunca é leniente ao coração. Ateu Poeta 20/04/2019

O som silente nunca é leniente ao coração 
Ateu Poeta 
20/04/2019

AMPLEXO ASTRAL

AMPLEXO ASTRAL

O Universo é 
Um caleidoscópio 
De lego fractal 
Quebra-cabeça 
Ambulante 
No amplexo 
Astral
Ateu Poeta
20/04/2019

A inteligência se ilude para que a vida tenha mais eficiência. Ateu Poeta 20/04/2019

A inteligência se ilude para que a vida tenha mais eficiência 
Ateu Poeta 
20/04/2019

O SISTEMA


https://ateupoeta.blogspot.com/2019/04/o-sistema.html
O SISTEMA

O sistema é o tema
A temer
Trema de alfazema
Com néctar de Poliana
Trama de cartéis
Dama de ferro
Mausoléus em quartéis
Mal olhado
Em chapéus de Mauá
O sal do mar
Com sabor de anzol
Colibri de sol
Numa noite de luar
Trem de Aqui jaz
Que treme o Aquiraz 
E faz fenecer 
Na lama
Parece de porcelana
A Tremembé e Pareci
Mas, se o uno se unir
Toca terror no mundo

Ateu Poeta
20/04/2019

IGNORÂNCIA


https://ateupoeta.blogspot.com/2019/04/ignorancia.html
IGNORÂNCIA

O homem 
Não sabe
Viver 
Sem Paixão
Prazer
E a ilusão
De que
Alguma coisa
Faz sentido
Nesta existência
Sem razão

Ateu Poeta
20/04/2019

Nem tudo que contagia cria sangria no coração Ateu Poeta 20/04/2019

Nem tudo que contagia cria sangria no coração 
Ateu Poeta 
20/04/2019

Sentimento e emoção são a gransifonia da razão. Ateu Poeta 20/04/2019


Sentimento e emoção são a gransifonia da razão 

Ateu Poeta 
20/04/2019

Nem todo ideal é virtual, mas é complicado e necessário criar projetos economicamente atraentes, ecologicamente corretos e socioculturalmente vantajosos ao mesmo tempo. Ateu Poeta 20/04/2019

Nem todo ideal é virtual, mas é complicado e necessário criar projetos economicamente atraentes, ecologicamente corretos e socioculturalmente vantajosos ao mesmo tempo.

Ateu Poeta
20/04/2019

As amarras mentas são cruciantes cruciais. Ateu Poeta 20/04/2019

Ateu Poeta
20/04/2019

O modo mais banal de parecer original é por os pés no absurdo. Ateu Poeta 20/04/2019


O modo mais banal de parecer original é por os pés no absurdo
Ateu Poeta
20/04/2019

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

POETOGRAFIA

POETOGRAFIA

Minha pluma é poetográfica 
Mais que o bailado de Luma 
Arisca grapiúna num céu de condor
Suas dores são amores

Suas lágrimas, louvor
Bálsamo íntimo de simbolismo
Lirismo da angústia
Da esgrima e sangue saem as letras

Que aliteram minha vida 
No violão ou ar da serra
Mar, aurora e luar
No canto da primadona

Tece a vida salutar
Do lobo no seio do horizonte

Ateu Poeta
21/06/2014

OLHOS DE MIRONE


OLHOS DE MIRONE


Olhos de mirone me miram
Mirantes de desejo e frenesi
Cada curva esconde prazer e delírio
Esse corpo é formosura em si

Lábios de carmim e fissuras
Misturam-se em teu camarim
Que visito em sonhos
De risonhos rouxinóis e tamborins

Teu requebrado febril
Torce o pescoço da avenida
Bandolins aos bandos pelo Brasil
A música em teu seio é vida

Os lírios da praça
Transformam-se em jasmim

Ateu Poeta
20/06/2014

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

AFORISMO DE CERVANTES

https://ateupoeta.blogspot.com/2019/02/aforismo-de-cervantes.html
AFORISMO DE CERVANTES

Trânsito na cidade...
Onde transita a felicidade?
Aonde andará o meu amor
Que aqui no peito não habita?

Nem sei mais se era bonita
Ou se a solidão distorcia
Tudo que via e senti
Aferi que era sincero

Será que até eu menti para mim?
E se não era tão austero assim?
Porque às vezes a mente se confunde
E se ilude até o fundo do abismo

Será a vida um aforismo de Cervantes
Ou os moinhos fruto do ostracismo?

Ateu Poeta
20/06/2014

O QUE É POESIA?

O QUE É POESIA?

O que é poesia?
Verve que vive na veia
Ave que vem no rabo da sereia
É condor e gaivota

Maiêutica diáfana
Que agiota não vê
Coruja a caçar
Rapinando a sinfonia

Harmonia no bailar da anestesia
Antítese, artimanha, sinestesia
Os olhos de mar daquela guria
Na aquarela do sonhar

Voar de pé no chão
Porque nenhuma agaiola prende a aliteração

Ateu Poeta
18/06/2014

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

SINFONIA DO PRAZER

https://ateupoeta.blogspot.com/2019/02/sinfonia-do-prazer.html
SINFONIA DO PRAZER

Teu cheiro tem sabor
De um toque
A galope
Da sinfonia do prazer
A mil
Nessa dança
Sou criança
Na ciranda da paixão
Cadê a chave do teu coração?
O sim é o síndeto da satisfação
Símbolo da fascinação
Teu beijo é o néctar do azul do céu
Veneno e fúria de um vulcão
Canção em gota de Babel

Ateu Poeta
15/02/2019

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

EIS A TRAGÉDIA

EIS A TRAGÉDIA

Ateu 
não
tem 
avatar

Ateu Poeta
12/11/2019
Pensamento-poesia em homenagem a Ricardo Boechat, um dos ateus mais famosos do Brasil que faleceu em um acidente aéreo no dia 11/02/2019.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

MONETIZAÇÃO

https://ateupoeta.blogspot.com/2019/02/monetizacao.html
MONETIZAÇÃO

Quantas calorias têm o pão de cada dia?
Quanto Vale a vida
Para o vil capital?
Lama no São Francisco
Panorama abissal
Quanto vale a grama
De um mundo marginal
Onde o ladrão é rei
Manda na lei industrial?
Já parou para contar?
Já sangrou para lutar?
Já cantou para calar?
Já dançou até cansar?

Ateu Poeta
07/02/2019

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

QUAL É A COR DA CAIXA-PRETA?

QUAL É A COR DA CAIXA-PRETA?

Reunião na ALERJ com o direitistas do momento.

Raquel Dodge pergunta à Catapreta 
:_Vossa excelência saberia me dizer como se chama a anti-heroína Alícia no desenho "O Homem-Aranha" quando ela está com traje de combate?

Catapreta:_Sempre que pronunciam "delta" nas equações só me lembra o Rio Nilo e fico imaginando um druida gótico lendo "Alice através do espelho". 

Raquel Dodge retira um par de algemas da bolsa e nisso chega Damares interrompendo o diálogo de repente:_Que história é essa de druida? Não me digam que estão vendendo o Kit Capeta!

Eduardo Bolsonaro diz para seu pai, Jair:_Papai, as mulheres estão me olhando com lupa quando eu passo na rua.

Jair Bolsonaro:_Deixa de ser marica! Depois você faz uma cirurgia pra mudar isso daí, tá OK? 

Carlos Bolsonaro:_Papi, lá fora tem um boneco inflado, mas tá escrito nele "Boneco Inflávio". Esses petitas são todos analfabetos!

Flávio Bolsonaro pergunta a Moro:_Afinal, Moro, quem é essa Bona Cera? É irmã daquele diretor da Globo que editou a entrevista do Collor para o Lula não ganhar a eleição?

Cid Gomes, cuja presença não tivera sido notada até então, com a cara toda vermelha de raiva, segurando um copo de leite na mão esquerda e uma rosquinha de morango na direita, diz:_O Lula tá preso, babaca! Pergunta pro Queiroz de que cor é a caixa-preta do avião!

Jair Bolsonaro:_Cid, não fale assim com os meus filhos, tá OK? Ou eu pego essa sua rosquinha e parto no meio!


Ciro Gomes vê que Cid mordera os lábios de excitação e fala: _Cid, sit! Olha, Jair, eu sei que você é o Idiota do ano na França e no Google, mas se tocar no meu irmão eu meto a bala no monossílabo tônico do seu dicionário. O seu símbolo químico do cobre vai ficar roxo igual aos seus beiços de jumento depois de umas boas maubadas, seu...

Jair Bolsonaro:_Hum, a menina gosta de um jumento...

Ciro Gomes:_ Olha, o Toninho do Diabo está aí fora com uma galinha na mão e uma laranja na outra. Tem manifestantes comendo maçã, tomara que joguem em você! Um outro messias, que não comia galinha, foi morto na cruz._Tira uma peixeira da cintura e diz:_A minha faca, hoje, está beatificada, batizada pelo Padim Ciço. Está mais amolada do que faca de bispo, se é que você me entende!

Adélio Bispo chega chorando para Ciro e diz:_Não faça isso, seu Ciro, aquela faca era de brinquedo!

Jair Bolsonaro põe a mão na cara, olha para Adélio Bispo e diz:_Ô, imbecil, não era pra contar pra ninguém que aquela faca é de circo!

Adélio Bispo:_Imbecil é o senhor!

Jair Bolsonaro:_Eu não sou imbecil, eu sou é Idiota e isso é bem diferente!

Moro:_Deixem isso para lá! Isso não vem ao caso. O Dallagnol está chegando com um novo Power Point que joga a culpa toda em cima do Lula.

Cid Gomes grita de longe:_O Lula tá preso, babaca!

Moro saca o revólver para atirar em Cid, mas Ciro está com a peixeira amolada já ferindo o pescoço do magistrado e fala:_Queridíssimo magistrado que eu não recebi na bala, faça-me o favor de me dar a sua arma, que igual à esta eu tenho três comigo e o Cid sempre sai de quatro, digo, de quatrocentos e oitenta. Ele vai pedir desculpas e o senhor irá aceitar prontamente se não quiser que eu toque fogo neste cabaré inteiro com o senhor dentro mais amarrado que aquela protagonista do filme "Cinquenta tons de cinza"!

Guilherme Boulos escuta de fora da ALERJ e grita:_Não são "Cinquenta tons de cinza", são "Cinquenta tons de Temer"! Vocês são parte da Banda Podre deste Brasil! Libertem Lula!_ O povo grita "Lula Livre".

Cid Gomes abre a janela e grita:_O Lula tá..._Ciro Gomes tapa a boca de Cid Gomes e fala:_Já chega, meu irmão, a sua língua de trapo está criando mais confusão do que a minha e a do Jair Kit Gaynaro juntas! A sua boca ficará amarrada até a gente chegar em casa.

Ateu Poeta
21/01/2019

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

INVERNO ASTRAL

INVERNO ASTRAL

O aquém do caos não é aqui
Aquilo ali além da lei
A lá Ninsei
Nonsense sem sensei

A vaidade que há em ti
Faz a primavera em si
Aflorar a fruir
So far away

Só farei Sol
Só sol e fá, hey!
Rei que não sou
Do Rock'n'roll

Quando a tempestade cair
Não mais será verão
No meu coração
Que o vulcão partiu

O blues do céu da tua boca
Deixa minha mente oca
Será que soul
No funk de Foucault

O kant que dificultou o canto
Da poesia de Platão?
Dancei sóbrio burbom 
No batom do teu botão

Em noite de neon 
O vetor não vê o fator espectral
Que há no víride do vidro
Do inverno astral

Ateu Poeta
15/01/2019

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

domingo, 30 de dezembro de 2018

CRISTAL

https://ateupoeta.blogspot.com/2018/12/cristal.html
CRISTAL

Todo o teu ser me engole
Doce gole de prazer
Convexa pílula sem bula
Nua dose de volúpia
Tua gula é de laser
Cada caverna profunda
Quebra uma lei rotunda
E uma noite moribunda
Suga o dia
No seio da teoria fria
Morre mais um Platão
Sem pão vem a nostalgia
Álgebra sombria
Penumbra de ilusão
O vulcão da garganta
Acalanta
Kant canta
Lazer vira pranto 
Em cada canto
Se o encanto da saudade fala
O fino fio da mortalha espreita
Tudo o que é torto endireita
Quando o mito cai
O grito é infinito 
Quando cala
E não sai
A saia se esvai no vento
Arraia raia o Sol
O arrebol da praia
Cheio de sabor e sal
Colore as dores incolores
Do teu corpo de cristal

Ateu Poeta
30/12/2018

domingo, 16 de dezembro de 2018

O SEIO DA SERPENTE

O SEIO DA SERPENTE

Celeridade silente é a cilada docente que adoça a insanidade e sangra o sacro seio da serpente

Ateu Poeta
17/12/2018

DELÍRIO DO ATEÍSMO 2: ATUALIZAÇÃO


Em 2011 fiz um texto destrinchando as questões da fé, ao mesmo tempo tentando simplificar, eis que dá para simplificar um pouco mais, então resolvi fazer isso agora.

Uma errata aqui é que eu achei que tivesse inventado na época o termo "adeísmo", que por algum motivo que desconheço agora está muito difícil de se achar na internet.

Eu não criei o termo adeísmo, ele já existia, não sei que o crio, e mesmo se eu tivesse criado eu não criei a prática adeísta assim como ninguém criou a prática ateísmo, é uma coisa natural; logo, o adeísmo também é algo natural, mais precisamente uma busca para o natural que para em algum ponto e impede que a pessoa saia da caverna por talvez já pensar que saiu ou achar lá fora perigoso demais e resolver ficar ali na porta da caverna, o que os atores do teatro chamariam de ribalta. O adeísta é um ser na ribalta entre o teísmo e o ateísmo, mas para chegar ao ateísmo é preciso sair da caverna e entrar no palco, ultrapassar a ribalta. 

Alguns historiadores erroneamente chamaram já o nazismo, o positivismo e o budismo de "religiões ateístas" por serem religiões sem um deus, mas estão redondamente enganados, o fato de ser sem deus não significa ser ateísta, porque há um profundo desconhecimento do que é ateísmo, inclusive entre a maioria dos que se dizem ateus, mesmo entre ateus consagrados como Dawkins por exemplo e outros tantos endeusados na internet e uma ignorância maior ainda sobre o que é adeísmo, e isto é ainda mais grave e difama os ateus.

Budismo: uma religião que negou os deuses hindus e pois o antigo deus Buda como uma espécie de semi-deus, um humano com poderes, ainda avatar da antiga deusa Vishnu. Não sei como eles conseguem adorar um avatar e negar a deusa que o gerou ao mesmo tempo, mas esta não é a questão aqui e não interessa. É uma religião adeísta por não acreditar em deuses mas continuar mística.


Nazismo: é uma religião que confunde crenças celtas e germanas com arianas, o próprio termo ariano era burramente usado por Hitler como sinônimo de germanismo sendo que germanos e arianos são povos de origens e costumes completamente distintos. Apesar do próprio Hitler se declarara ateus e dizer que tinha assassinado todos os ateus do mundo, ele criou esta religião, o nazismo, que era uma grande salada de religiões e ao mesmo tempo não importava o que qualquer deus de fato queria mas ele que era o ser supremo as ideias de deuses dos outros eram apenas jaquetes.

Muitos para difamar os ateus dizem que Hitler era ateu, mas o fato é que Hitler era muito místico, e ateu de verdade não tem misticismo ao mesmo tempo em que ele se declarava católico mas seguia aos seus próprios desejos. Se ele próprio não era adeísta fez com que milhões fossem ou que misturassem o adeísmo nazista com os politeísmos germano, celta, ariano-hindu e o monoteísmo católico, uma salada grande no fim das contas.

Positivismo: O positivismo também erroneamente chamado de "religião ateísta", é na verdade uma religião adeísta, que nega os deuses e troca as demais figuras do baixo clero deísta por artistas chamados de "virtuoses", como Mozart e Beethoven por exemplo.

Passada esta questão sobre os 3 principais adeísmos no mundo, que na prática se resumem numa coisa só: não acreditar em seres supremos mas continuar acreditando em seres mágicos menores; passaremos para o texto em si feito em 2011 agora com simplificação porque os 14 modos de lidar com a crença podem ser fundidos, e, assim, espero que fique mais compreensível para quer ler.

1.DELÍRIO DA RAZÃO

Seria o ceticismo uma evolução genética, uma propensão genética para não crermos naqueles que nos enganam como mecanismo de defesa, a fim de garantir a auto-preservação?

O ateu, um dos modos de ceticismo que existe, seria, assim, um ser evoluído, num dos testes de sobrevivência do DNA?

Não, não há diferença no DNA, logo, não é um ser propenso a substituir ou desvanecer da face da Terra. Porém, existe algo de especial no ateu que já foi religioso e consegue, apesar da lavagem-cerebral cultural sofrida por anos a fio, chegar a um certo grau de sanidade que, talvez, nem todos possam adquirir: a chamada resiliência.

O resiliente, como se diz na filosofia a partir da psicanálise, seria o ser capaz de vencer a própria cultura, que consegue vencer todas as barreiras intelectuais e criar a própria moral, o que, de fato, não existe. Contudo, existe algo parecido, o ceticismo, que, em ultimo grau, assim como o delírio, causa equívoco no sujeito tão forte que este será capaz de afirmar que nada existe, logo, isso é uma grande ilusão racional, um delírio da razão, que, provavelmente, leva à loucura pela incapacidade do cérebro humano, de hoje, de lidar com informações contrárias, o que provoca vômitos, mal-estar e outros mecanismos de evacuação do veneno que o corpo produz nessas ocasiões, que, se não evacuar, talvez virem coágulos, que desencadeiam em outras complicações psicossomáticas ou fisiológicas.

2. DELÍRIO DA FÉ

Possuímos mecanismos de conservação que, como a natureza em si, são falhos. Um deles é referente à perseguição. A coisa mais fácil do mundo é achar que alguém nos quer mal, mesmo que esse alguém não exista, imaginamos que ele nos vigia, para algum fim contra a nossa vontade e bem-estar, o que seria uma ilusão.

Ilusão é uma coisa comum a todos; ver o que não está ali, escutar vozes sem um interlocutor humano, sentir calafrios, etc. Todavia,quando uma ilusão surge muito forte chama-se delírio e o delírio permanente pode ser um começo de loucura, que se desenvolve por vários meios, um deles é a síndrome do pânico, outro seria a esquizofrenia, que devem ser controlados com psicotrópicos, aquela tem cura e este não.

Também há surtos temporários dos quais todos estamos propensos a ter, havendo, é claro, os fatores de risco, cujo principal deles seria o uso de psicodislépticos, tanto euforizantes, como o álcool, ópio e cocaína, quanto alucinógenos, como lidocaína e amido de do ácido lisérgico.

Fatores externos como a música, escultura e pintura nos levam a leves ilusões, principalmente quando atrelados a outros fatores de risco, como o uso de psicodislépticos e longos jejuns, podendo, desse modo, encaminhar para um estado de alucinação profundamente delirante, e quando surge o estado de euforia é que se torna mais forte a sensação que desencadeia uma loucura tão profunda que muitos dirão ter participado de experiências transcendentais.

Não é estranho que a maioria das grandes alucinações aconteçam quando estamos desatentos, por um período de fraqueza física ou emocional?

Isso é um conhecimento que vem desde a antiguidade, muito provavelmente, desde as formações das supostas primeiras tribos, transmitido apenas para xamãs, druidas, pajés e outros tipos de sacerdotes, e, talvez, tenha caído em mãos de alguns outros, que, aliados aos sacerdotes, ora superiores, ora inferiores a eles, os ajudaram a governar ou os subjugaram, forçando-os a usar seus conhecimentos científicos, se é que assim podemos chamar, e ritualísticos, para persuadir todos aqueles que deveriam obedecer, daí, terceiros foram induzidos a servir de guardiães daquela pequena elite.

Para os céticos existem dois caminhos: Primeiro, comprá-los. E, provavelmente, muitos deles assumiram o poderio religioso, militar e ambos, ou viraram nobreza ociosa, que apenas luxava.

Daí, alguns deles viraram grandes artistas, o que fez com que se desenvolvessem técnicas mais eficazes de transformar uma pequena tribo num grande império, porque foram criadas linguagens universais através da arte, facilitando o poderio de todas as formas possíveis antes e depois das guerras com outros povos e a controlar revoltas internas, justificando-se os castigos e divulgando-os como exemplo através de pinturas, esculturas, músicas e, mais tarde, da escrita.

A escrita, atrelada às demais belas-artes, criava outras artes, como a literatura e virou, hoje, talvez, a maior arma de persuasão de todas, principalmente porque a maioria não tem pleno acesso a ela diretamente, o que a torna praticamente de uso elitista.

O segundo modo de lidar com os céticos foi matá-los. Mas, isso faz com que se crie mártires, alimentando, assim, a fé de outros. O incrível é que a própria fé que inibe o ceticismo o alimenta, uma vez que se cria uma falsa verdade sob a qual se deva acreditar sem ver e ao mesmo tempo despreza as verdades alheias.

Isso é o grande delírio da fé que gerou sempre conflitos intermináveis de causas vazias e absurdas; tanto serviu para manter grandes impérios quanto para criar cisões até mesmo dentro do círculo familiar que temos vivenciado nessa era capitalista de início de século 21.

3.DELÍRIO EMOCIONAL

A razão por si mesmo não existe, ela é um mecanismo de sobrevivência completamente dependente dos sentimentos, assim como esses os são em relação aos sentidos e à interpretação neural que aprendemos a chamar de mente, logo, o fator emocional é capaz sim de provocar delírios.

Um sujeito em quadro depressivo forte poderá, sem medicação, evoluir para um quadro neural complicado, como um surto psicótico? Tudo indica que sim, uma vez que a razão só existe enquanto houver sentimento. O pensamento é induzido diretamente pelo quadro clínico do paciente em questão, que, uma vez debilitado emocionalmente não permanecerá são, caso seja essa debilidade um fator agravante que se alastre perene e gradativamente.

Fala-se muito em inteligência-emocional, mas isso já é um delírio da psicanálise, que, por sua vez, usa meios profusamente místicos de Freud, Jung e Ana Freud. Já se perguntou se a "inteligência-emocional" existe ou se o que existe é uma simples técnica de fingimento sem a qual os grandes negócios podem ir pelo ralo, não passando apenas de inibição emotiva, que de algum modo terá que ser extravasada mais tarde?

O capitalismo não é delirante? Nós fomos criados num mundo de mentiras, onde tudo é pecado, mas pra onde vão nossos impostos? E, pra vai o dinheiro do dízimo?

DELÍRIO DO ATEÍSMO

Elaborei uma lista sobre os 8 modos possíveis lidar com a crença mística  . Em vez de deus uso a palavra Lobão e, substituo todas as demais formas místicas inferiores por lobinho. Caçador é empregada para significar fé. Super-caçador significa desespero, lobo é aquele que consegue voltar ao estado natural de quase sanidade. Não-caçadores são os de mente sã completamente, no quesito religioso apenas.

Uso o termo Adeísta para separar "ateus místicos" de ateus de verdade. Ser ateu é o mais elevado grau de sanidade, já ser cético-extremo é um erro; é o que poderíamos chamar de delírio do ateísmo, inclusive porque é um falso ateu, de exemplo Descartes, que negava a si mesmo para afirmar a existência de Deus, um exemplo claro e clássico de cético extremo e de como ser cético não é ser ateu.

O ceticismo extremo é sempre um erro, logo, ser deísta, teísta, pandeísta ou panteísta, no quesito cético é o mais alto grau de delírio da fé e da razão simultaneamente. Já é delirante ter fé, seja ela ainda um resquício, como no agnosticismo e no adeísmo ou forte, como nos outros modos de crer, uni-las à razão é um super-delírio supernatural psicossomático.

Caçadores:  Adeísta, Agnóstico, Teísta, Deísta, Panteísta.


Lobo-não-caçador:  Cosmoteísta 

Não-caçador: Ateu

1. Ateu Sabe que a caça não existe. Alguns nunca caçaram, outros se libertaram do vício de caçar.

2. Adeísta: Sabe que o Lobão não existe, então, caça apenas os lobinhos. Às vezes ele próprio cria seus lobinhos, inspirado em outras matilhas inexistentes, só pelo prazer de caçar.

3.Agnóstico: Não sabe se deve caçar ou soltar o mosquete.

4.Teísta: Caça Lobão e lobinhos. Quem não caça em seu bosque é louco.

5.Deísta : Só existe o Lobão a caçar. Não existem lobinhos.

6.Panteísta: Caça em todos os bosques, Lobões e lobinhos.

7. Cosmoteísmo: A crença de que o Lobão é o próprio universo, ela se divide em 3 visões: 

a) Cosmoagnosticista: o Lobão é o próprio universo, logo, se encontra em seu estômago, de onde jamais sairá, não podendo, assim, provar-lhe a existência, de todo modo uma resposta final é impossível. 

b) Cosmoadeísta: Tudo o que existe são lobinhos, inclusive ele, e se juntar tudo, essa fusão é o próprio Lobão, que não existe isoladamente à parte. O Lobão morreu ao nos criar. Talvez Nietzsche tenha pensado nesta possibilidade ao sugerir que "Deus está morto".

c) Cosmodeísmo: Não seria diferente de um deísmo comum original de imaginar um Lobão fraco, porém, neste caso o Lobão é o próprio Universo que pode ou não se manifestar de várias maneiras, mas é mais provável que não se manifeste nunca por ser uma Lobão à beira da morte.

Ateu Poeta
16/12/2018