Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

EXPLODINDO BURACOS-NEGROS


EXPLODINDO BURACOS-NEGROS

Se vários campos-gravitacionais cercarem outro campo em 360 graus e se afastarem dele ao mesmo tempo seria possível fazer esse campo explodir e a matéria dentro dele também, se o campo central for o mais fraco.

A explosão, no entanto não criaria uma “corda” a sair por aí como uma suposta “fantasmogênese” física a ultrapassar outros universos que se supõe que existem em algumas teorias.

Talvez fossem gerados raios-cósmicos, que também não estou certo se existem, ou algumas partes da matéria e do próprio campo rompido fossem transmutadas para raios luminosos por ficarem radioativas ao ser expostas a tamanha força de pressão que talvez transmutasse matéria em radiação eletrostática.

Daí, se pudéssemos criar buracos-negros artificiais com força de sucção maior que um original e os puséssemos em 360 graus deste ele explodisse e pudéssemos saber o que de fato haveria no interior, supondo que alguns pedaços da matéria central ainda permanecessem originais após serem submetidos à tamanha catástrofe.

Ou, de repente, surgisse no centro do buraco-negro rompido a tal “antimatéria” da qual uma suposta colher de chá jogada na Terra a deixaria feito um queijo suíço antes de juntar-se ao seu núcleo, se é que se juntaria ao invés de simplesmente atravessá-lo; isso numa suposição de existência da antimatéria que talvez pudesse ser criada no centro do buraco-negro que por estar fatiado já não mais produziria raios-gama.

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

Pacoti-CE, 30/01/2013

sábado, 25 de janeiro de 2014

SEM PARTIDO


SEM PARTIDO

No Brasil os partidos
Viraram oligarquia
Caravana de bandidos
Matilhas que quebram a democracia

Precisamos da candidatura direta
Sem essa obrigatória estrutura
Ser inteiro, como diria um amigo
Por conta própria

Como em países evoluídos
Não é passeata contra a copa
Anonymous e Black-Blocks
Que mudarão os blocos desses carnavais

De dinheiro na cueca e muitos mais
As nossas leis estão banais

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

Pacoti-CE, 26/01/2014

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

NADA SEREI


NADA SEREI

Sem teu abraço nem existo
Nada sei nem insisto
De tanto versejar velejei
Vivo a cantar

Mas nada serei
Não há laço com o mundo
Que valha uma pluma
Em vala de vale profundo

Sereias em série sonhei
Nas espumas do mar em flor
Nenhuma com o teu olhar
Perfume, semblante e calor

Ou o sabor dos teus lábios confusos
Onde o meu frenesi se calou

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

23/01/2014

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

ODE A DOR II

ODE A DOR II

De todas as ilusões
A dor é a mais delirante
Enlouquece os mais sãos
Pode deixar zarolho

Torna fraco o rinoceronte
Faz qualquer um duvidar de si mesmo
Transforma materialistas em niilistas
Numa autoiconoclastia sorumbática  

Idiossincrasia que tira todo o sentido
De onde já nem havia
Vira noite o dia mais claro
O mais raro momento de sinestesia

Já não vale
Nem a metade da anestesia

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR
21/01/2014

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

O PRÓXIMO SÉCULO


O PRÓXIMO SÉCULO

No próximo século
Ninguém lembrará
Deste historiador
Ateu Poeta sonhador

Que a terra engolirá
Talvez seja uma época científica
Onde só existam céticos
Todos mais ímpios do que eu

Ou o contrário total
Onde nada vale ser dialético
E um homem sem religião
Não tenha valor agregado

A corrupção ainda seja chamada
De mistério sagrado e amor

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

Pacoti-Ceará, 21/01/2014

domingo, 19 de janeiro de 2014

ZEUS, THOR E TUPÃ


ZEUS, THOR E TUPÃ

Zeus, Thor e Tupã
Não são os mesmos de antes
Guardados nas estantes
Quebraram o dedo de Deus

O raio rendeu o redentor
Que ainda com medo gritou:
Ai, meu dedo!
Amon disse amém

Ele pegou meu país
Hoje não sou feliz
Virei mitologia
Será que foi acidente

 No seio do ocidente?
Se oriente

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

19/01/2014

DIAMANTE CAP 9: DION


DIAMANTE
CAP 9: DION

Quando o Vampiro Supremo criou vida no caos do Universo Escuro ele era apenas uma bactéria em evolução, parecida com a evolução da Terra, só que antes de qualquer Big-Bang e num Universo anterior a qualquer Cubo Mágico Automático, até por que o Universo Escuro é que lançou os Cubos Mágicos Automáticos, que foram já invenção do Vampiro Supremo.

Todos os serem vivos que já existiram na Terra tiveram antes uma versão negra, densa e mais forte, de matéria escura e antimatéria. Aquela primeira bactéria se dividiu e quando ainda era uma célula que cresceu e virou duas, mas a original sempre sobreviveu e um dia infectou o primeiro homo sapien e tomou conta de seu organismo, daí nasceu o primeiro vampiro de fato que devorou todos os demais seres vivos, exceto um, uma mulher linda de olhos azuis e loira que tinha seu corpo perfeito num mundo onde todos ainda andava nus e viam muito bem naquela completa escuridão.

Lilith então foi mordida e vampirizada e teve a primeira geração de vampiros, essa geração é que instalou os cubos mágicos automáticos, inventados pelo Supremo. A segunda geração escolheu um local no Universo dos Humanos para haver vida e deu a ideia de criar novas criaturas, primeiro o Supremo autorizou que fosse criado super deuses, e esses super deuses criaram deuses, mazelas, titãs e gigantes, que por sua vez criaram humanos e infindáveis outras criaturas que os cientistas mais elevados chamam de evolução e negam piamente os deuses e outras criaturas chamadas de místicas, mas o que importa? Os cientistas não existem mais. E quem morre perde a voz.

Enfim, vamos ao que aconteceu com Luïc no vulcão: primeiro ele virou logo cinzas em seguida houve uma tempestade pois seus poderes ainda existiam e principalmente os poderes de um filho de Tupã prevaleceram uma vez que por um instante com o enorme calor seu corpo virou diamante por um segundo, um bom condutor, daí voltou a ser carbono novamente e diamante e carbono e ficou se transformando até que os raios absorveram todo o magma do maior rio de lava vermelha daquele universo, então, ele virou aquela ave que fora novamente jogada no mesmo vulcão.

Já no vulcão novamente o Gavião Vermelho pegou fogo e começou a beber toda a lava que encontrava, fosse vermelha ou negra, ou branca ou de cor qualquer e mesmo magma incolor que achou que fosse água mas era fogo puro e rocha negra derretida.

Enquanto os inquisidores das trevas engravidavam Lilith, criando uma geração de inquisidores das trevas supremos o Gavião Vermelho se humanizou novamente voltando a ser de novo vampiro gangrel, o primeiro que fora, e depois um vampiro completamente de diamante. Chamou-se de Dion para lembrar Dioniso, mas sabendo que era o primeiro nome de Zeus, que por ventura também anagrama do nome Odin.

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

19/01/2014

DIAMANTE CAP 8: O GAVIÃO VERMELHO


DIAMANTE
CAP 8: O GAVIÃO VERMELHO

Cada inquisidor das trevas fez para si uma espada daquela lava negra começaram a cavar mais ainda procurando por algum vestígio de Luïc, contudo, viram apenas uma fenda com um rio de magma vermelho lá embaixo que se condensava e do centro saía uma ave, um gavião, ainda mais vermelho e brilhante do que qualquer coisa já vista.

O gavião subiu a mil passando por todos aqueles inquisidores e bicou o olho direito do Vampiro Supremo que deu um tremendo grito de dor que fez todo o Universo Escuro tremer.

Os inquisidores, por sua vez, viram a única forma de derrotar o Rei, embora não fossem mais seus inimigos, eles se olharam, sorriram internamente, todos sabiam que estavam sorrindo embora não pudessem ver os rotos uns dos outros e pularam para cima do Vampiro Supremo com toda a força e vontade do fogo negro no âmago.

Um dos inquisidores viu o congelado no calcanhar e enfiou nele sua espada e chamou outro para que fizesse o mesmo no calcanhar esquerdo. O Vampiro Supremo então caiu de joelhos e os inquisidores lhe cortaram fora a cabeça.

O gavião foi pego por um dos inquisidores e jogado novamente no vulcão. Agora com o Vampiro Supremo morto os inquisidores poderiam criar outra geração com a sua viúva, Lilith que é tida como deusa, súcobo, e a primeira mulher, mas todas essas são apenas figuras criadas à imagem da grande e verdadeira Vampira Suprema e Rainha da Noite, a mulher do grande Vampiro Supremo, agora morto.

Loira, de olhos azuis, é capaz de apaixonar o coração mais sombrio de todos. Não tem presas nem suga sangue ou mata, alimenta-se apenas da paixão pela qual desperta nos mortais, imortais, e supremos-imortais; uma musa suprema de fato que vive da própria adoração.

ATEU POETA
O QUESTIONADOR

19/01/2014

DIAMANTE CAP 7: OS INQUISIDORES DAS TREVAS


DIAMANTE

CAP 7: OS INQUISIDORES DAS TREVAS

Paladino ordena: _Capadócios, tapem os ouvidos. Basiliscos de gelo, cantem com todo o poder!

Os vampiros gigantes não paravam de vir, todavia, quando os basiliscos de gelo começaram a cantar cada um deles foi caindo de joelhos e se transformando em pedra, isso por que esses vampiros tinham um enorme poder de restauração, se fossem outras criaturas, morreriam na hora, exceto os capadócios e setitas que têm por si uma proteção natural contra os basiliscos. Mesmo assim, esses basiliscos de gelo tinham seu canto mais forte de modo a mesmo capadócios e setitas sofrerem agora seu dano, pois eles eram imunes ao basilisco comum, não a esses de gelo criados por Luïc.

Os basiliscos cuspiram gelo em cada gigante de pedra e eles ficaram sobre seus poderem e o gelo com a pedra formou uma pedra mais resistente graças ao poder natural de cura daqueles gigantes, exceto um, o que fora mordido por Luïc virou inteiramente de gelo e com poder de congelar e tinha lealdade a Luïc diretamente, assim como Paladino, mesmo que Luïc já não existisse agora por que independente disso o veneno ainda se encontrava nos dois.

O que significa que mesmo os setitas não existindo mais Luïc só existia agora graças a eles naquele veneno que outrora fora seu sangue ocorrido isso pelo toque da morte que o tinha começado a matar e graças ao qual os capadócios agora também serviam Luïc e ao mesmo tempo levavam consigo sua maldição, se não mordessem ninguém de tempos em tempos morreriam.

Com isso, os capadócios passaram a morder todos os basiliscos, ora sugando-lhes o sangue, ora injetando o veneno de Luïc, e depois passaram a morder todos os gigantes, tornando-os agora leais diretamente a Luïc, por mais que os dentes se quebrassem ao contato com aquela pedra fria mais densa que qualquer outra os dentes de qualquer vampiro crescem de novo naturalmente daí eles iam mordendo até conseguir.

Paladino ordena que gigantes e basiliscos de gelo matem o Vampiro Supremo e vai com os demais capadócios para o vulcão, sacrificando-se para tentar encontrar qualquer vestígio de seu mestre. Ao começar as escavações uma grande quantidade do magma negro escorre para cima, sendo agora lava negra, que banha todos os capadócios e o Paladino. Mas eles não se desintegram como esperado.

Nesse momento o Vampiro Supremo surge e era gigante até para os gigantes, esmagando-os com apenas um pisão e aos basiliscos com outro. Seu único ponto fraco agora era seus calcanhares congelados pelo vampiro de gigante de gelo que também injetara neles o veneno de Luïc. Mas, após a segunda mordida, o Vampiro Supremo conseguiu pegá-lo e quebra-lhe ao meio com uma grande mordida impiedosamente cruel.

Os capadócios ficaram todos negros cobertos por uma armadura negra muito leve e resistente, chamara a si mesmos de inquisidores das trevas. Nenhum deles estava mais sobre o domínio de Luïc porque o veneno em suas veias foram incendiados pela lava negra e agora era nada mais que fogo negro.


Ateu Poeta
O QUESTIONADOR
19/01/2014

DIAMANTE- CAP 6: O PALADINO E OS GIGANTES


DIAMANTE

CAP 6: O PALADINO E OS GIGANTES

Com aquele capadócio sobre seu poder, Luïc ordena: _Agora vá. Monte em um desses basiliscos de gelo, leve todo o restante com você e volte aqui somente após morder e por sobre seu controle todos os capadócios, que eu presumo que sejam os últimos vampiros que existem além de nós e do Vampiro Supremo. Eu esperarei bem aqui pois a eternidade está a meu favor. Você agora se chama Paladino. Não importa como se chamava antes. Agora vá!

Terminada a ordem, Paladino partiu, mas logo o fez e encontrou um exército de capadócios a sua frente com quem se dispôs logo a lutar. Atrás dos capadócios vinha um vampiro gigante o qual Luïc presumiu ser o próprio Vampiro Supremo e com isso se pôs a congelar seu pé direito e mandar alguns basiliscos lhe arrancarem o outro.

O pé direito do gigante foi cortado com a espada de gelo e o outro arrancado pelos dentes dos basiliscos e com a a deixa da enorme queda Luïc sem pestanejar voou até o pescoço do gigante e injetou nele até sua última dose de sangue-veneno dando a ultima ordem de sua vida prestes a acabar: _Matem o Vampiro Supremo!

Os pés do vampiro gigante voltaram a crescer, mas ele não ficara sobre o efeito do veneno, pelo contrário, falou a Luïc : _Eu não aceito seu pacto de sangue! Você agora vai morrer de um jeito que todos os vampiros temem; dentro do magma negro do vulcão gigante. O magma daqui é milhões de vezes mais quente que o que você conhecia na Terra. Você virará cinzas apenas.

Enquanto isso, outros gigantes estavam vindo ao local e Luïc indignado ainda grita: _O quê? Você não é o rei?

_Não, eu não sou. E não é hoje que você irá conhece-lo! _Dito isso o vampiro gigante correu em supervelocidade e o atira dentro do enorme vulcão.

Nesse meio tempo, o Paladino consegue dominar todos os capadócios a custo de quase todos os basiliscos de gelo e se põe agora a lutar contra os gigantes.

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

19/01/2014

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

A FÉ CEGA


A FÉ CEGA

E daí se a tua fé cega?
A razão não se entrega assim
Nada agrega uma ilusão a mais
Aqui jaz um mero zumbi

Não me faz cair a tua vã tentação
Uma mente sã suporta o vazio
Uns gostam de frio outros de calor
Mas nem tudo é vapor ou calafrio

Nem é sólida a solidez da solidão
Ou as páginas dos livros sagrados
Que torturam a mente dos embriagados
Com a falsidade chamada mistério

Qual o critério para o tal pecado?
Batistério, cartão e gado

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

18/01/2014

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

CORAÇÃO SAMURAI


CORAÇÃO SAMURAI

A mulher traz no seio a poesia
Coração samurai de euforia
Caos, paz e sinfonia
Mar que banha e afoga

Magma, lava e vulcão
Frio, gelo e paixão
A guerra por excelência
Cria e corrói por ciência

Aprimora e destrói
Síntese da indecisão
Roma e Cartago
Puma de espuma

Trago de bruma
Pluma da sedução

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

Pacoti-CE, 17/01/2014

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

CAVALEIRO FANTASMA


CAVALEIRO FANTASMA

Vendeu a alma ao Diabo
Por algum ideal
Ao ser enganado
Viu vontade maior

Mudou de planos
Traçou seu norte
Fez do erro sua sina
Virou herói sem temor

 Vaga à noite
Mas, tudo é mera ilusão
Quantos cavalgam pelo mundo
Sem nenhum alazão

Poder ou sorte 
De pé no chão?

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

Pacoti-CE, 13/01/2014

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

A ÚLTIMA PORTA


A ÚLTIMA PORTA

Só os versos sobrarão
Quando o sol estiver ido
Nos verdes ventos sem dono
O até mais não fará sentido

Sob o mar infindo de escuridão
Nunca mais haverá clarão
Nenhuma dor
Nada sofrido

Um frio magma fenecido
Que fora lava
Lava o chão de carbono
Já não importa se é verão

Ou se a Terra suporta o outono
Estará fechada a porta

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR
Pacoti-Ceará, 10/01/2014

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

ANDROID MORTO


ANDROID MORTO

Os próprios problemas é que movem a tecnologia
Abjeto objeto do quebranto
Sem acalanto
Viral

É tudo feito para quebrar
Antiartesanal
Antítese da ciência
Inconsciência industrial

A rapidez é mais importante
Que a durabilidade
Apreço ao preço da pressa
E não à sustentabilidade

Assim se move a sociedade
Moldada feito peça

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

08/01/2014

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

ASAS ILÓGICAS


ASAS ILÓGICAS

O mesmo caos da suposta destruição
Mas, que na verdade só reconfigura
Faz com que brotem criaturas
Que nenhum desenhista faria

Por maior poder e euforia
Que o mito da fé lhe desse
A evolução apetece a sobrevivência
Perpetuação das espécies

Em meio à guerra do carbono
Que para manter a vida devora
Depois devolve para o ciclo
Da fusão nuclear à radiação

Explosões química e biológicas
A beleza criou asas ilógicas

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR
07/01/2013

domingo, 5 de janeiro de 2014

DIANA


DIANA


Oh! Oh! Diana
Leva-me para cama
Mostra-me que és filha de Zeus
Deixa-me colher

O coliseu da tua gana
Sejas minha amante
A bacante inebriante da noite
Sem a flor de açoite da solidão

O mundo é um grão
Teu sorriso, o meu diamante
Sem o qual tudo é vão
Uma profana contramão

A colisão que desejo
É de um beijo ganhar teu coração

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

Pacoti-Ceará, 06/01/2014

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

TORPOR


TORPOR


A verdade é dura
 Pior é a morte sem a sorte da cura
Se a tua mente não está comigo
E não tenho abrigo em teu coração

Solte minha mão ao vento
Prefiro o relento do escuro
Que um falso clarão
O corpo não tem valor

 Sem o fervor da vontade
Sem aquela tempestade
Tudo é frialdade
Mediocridade de corvo

Música sem encanto
Acalanto torvo de torpor

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

02/01/2014

JOIA, JOIO E JOGO


JOIA, JOIO E JOGO

Queria fazer poesia
Mas não havia harmonia
Caos, cais, coração
 Nenhuma joia rara

Joio em jogo
Faltou fantasia
Festa, febre e frenesi
Era tudo ao avesso

Verso era universo
Noite era dia
Fenecer que aquecia
Pérsia era Fenícia

Perseu, Péricles
Héracles, Odisseu

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR

Pacoti-Ceará, 02/01/2014